Europa

publicidade
18 de fevereiro de 2012 • 21h01 • atualizado às 21h09

Sueco sobrevive por 2 meses em carro enterrado na neve

O carro coberto de neve foi encontrado nas florestas de Umea, no norte da Suécia
Foto: Reuters
 

Um sueco foi retirado vivo após ter ficado por dois meses em seu carro coberto pela neve em uma trilha na floresta, informaram a polícia e a mídia local neste sábado. O homem de 45 anos foi localizado na sexta-feira, magro e fraco demais para falar algumas palavras.

Ele foi encontrado não muito longe da cidade de Umea, no norte do país, por pessoas que acreditavam ter se deparado com um acidente de carro - até que foi cavado um caminho até a janela e movimentos dentro do carro foram vistos.

"É simplesmente incrível que ele esteja vivo, considerando que ele não tinha comida, mas também porque estava realmente muito frio durante algum tempo depois do Natal", afirmou um membro da equipe de resgate ao jornal Vasterbottens-Kuriren. Ebbe Nyberg, policial da cidade de Umea, disse que não havia qualquer razão para duvidar que o homem ficou preso no carro por um tempo muito longo.

O Umea University Hospital, onde o homem está se recuperando depois de ser resgatado pela polícia e pela equipe de resgate, disse em comunicado que ele estava bem, considerando as circunstâncias.

Os médicos do hospital afirmaram que os humanos, normalmente, não são capazes de sobreviver por cerca de quatro semanas sem alimento. Além de comer neve, o homem provavelmente sobreviveu entrando em um estado de dormência, afirmou ao Vasterbottens-Kuriren o médico Stefan Branth.

"É um pouco como um urso que hiberna. Os seres humanos podem fazer isso", disse o médico, explicando que o homem tinha provavelmente uma temperatura corporal de cerca de 31°C. "Devido à baixa temperatura, a energia não muito foi usada."

O motivo que fez o homem ficar sob a neve na floresta permanece desconhecido, disse a polícia.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.