0

Papa Francisco nega ser marxista

15 dez 2013
14h56
atualizado às 15h00
  • separator

O papa Francisco disse conhecer muitos "bons" marxistas, mas negou que ele próprio seja comunista, depois das reclamações de conservadores americanos às críticas que o pontífice fez ao capitalismo selvagem.

"A ideologia marxista é errada. Mas na minha vida eu encontrei muitos marxistas que eram boas pessoas, então não me senti ofendido", disse o Papa em uma entrevista publicada neste domingo no jornal italiano La Stampa.

Ele disse que a condenação que fez à desigualdade causada pelo sistema econômico global não pretendia ser uma análise de especialista e que foi apenas uma reiteração da doutrina social da Igreja Católica.

"Isto não significa ser um marxista", afirmou.

O apresentador de rádio americano Rush Limbaugh rotulou como "marxismo puro" um texto publicado pelo Papa no mês passado, no qual ele alertou que um sistema econômico injusto "mata" e alertou que o capitalismo sem controle era "uma nova tirania".

A crítica do Papa, que testemunhou os efeitos de um colapso econômico devastador em sua Argentina natal, foi repetida por membros do movimento conservador 'Tea Party' e pelo canal de televisão americana Fox News.

O Sumo Pontífice é um conservador moderado e foi um crítico feroz do movimento eclesiástico de inspiração esquerdista Teologia da Libertação na América Latina, embora tenha parecido recentemente se reconciliar com seus líderes.

Veja também:

Penteado "estilo quarentena" virou coisa do passado
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade