PUBLICIDADE

Ramificação da Cientologia na França é condenada por fraude

28 out 2009 - 12h14
(atualizado às 12h22)
Publicidade

Steven Erlanger
Do New York Times

A ramificação francesa da Igreja da Cientologia foi condenada por fraude e multada em quase US$ 900 mil na terça-feira por um tribunal francês. Mas os juízes não baniram a igreja, como a promotoria havia exigido, dizendo que uma mudança na lei impedia tal ação por fraude. A igreja afirmou que entraria com recurso.

O veredicto foi um dos mais importantes em muitos anos envolvendo o grupo, que está registrado como uma religião nos Estados Unidos, mas não tem proteção legal similar na França. O grupo é considerado uma seita no país e afirma ter cerca de 45 mil fiéis, entre 12 milhões no mundo inteiro. É a primeira vez que a igreja em si foi processada e condenada no país, em contraste a condenações anteriores de membros individuais.

O caso foi aberto por dois ex-membros que disseram ter sofrido pressão para pagar grandes quantias de dinheiro nos anos 1990, se inscrever em "cursos de purificação" caros e comprar uma variedade de vitaminas e outras formas de produtos farmacêuticos, além de testes eletrônicos para medir seu progresso espiritual. Uma mulher disse que havia sido pressionada a gastar mais de US$ 30 mil.

As maiores multas foram impostas ao Centro de Celebridade da Cientologia em Paris e à livraria da Cientologia. Seis líderes do grupo foram condenados por fraude, sendo que quatro deles tiveram suspensão condicional da pena (sursis) de 10 meses a dois anos. Um deles, o líder do grupo na França, Alain Rosenberg, recebeu uma suspensão de pena de dois anos e uma multa de US$ 44,7 mil. Outros dois receberam apenas multas de US$ 1.490 e US$ 2.980.

Os juízes disseram que os indivíduos haviam evitado a prisão em parte por causa dos esforços da igreja em "mudar suas práticas". Já houve outros casos contra cientologistas específicos na França, mas essa é a primeira vez que a organização foi condenada por seus métodos de funcionamento.

Olivier Morice, advogado dos queixosos, disse: "Essa é uma decisão histórica. É a primeira vez na França que a entidade da Igreja da Cientologia é condenada por fraude como uma gangue organizada", em contraste a meras condenações de membros específicos. Ele disse que o tribunal "expressou sua vontade de manter em ordem a estrutura da Cientologia para facilitar seu controle", acrescentando que "o tribunal deu a essa decisão uma dimensão nacional e internacional, para que vítimas em potencial possam ser alertadas dos métodos da Cientologia".

Catherine Picard, que administra uma associação que ajuda vítimas de seitas, considerou o veredicto "sutil o suficiente e inteligente", dizendo que ele ajudaria a controlar a Cientologia na França, e expressou esperança de que o Estado seja "mais vigilante". Ela disse que "a Cientologia não pode mais se esconder atrás da liberdade de consciência".

Uma porta-voz da igreja, Agnes Bron, considerou o veredicto "uma Inquisição dos tempos modernos". A Igreja da Cientologia tem sede em Los Angeles. Ela foi fundada em 1954 pelo escritor L. Ron Hubbard. Bélgica, Alemanha e outros países europeus foram criticados pelo Departamento de Estado americano por classificar a Cientologia como um culto ou seita e decretar leis que restringem suas operações.

Tradução: Amy Traduções

The New York Times
Publicidade