0

Ministra sueca causa polêmica ao cortar bolo em forma de mulher negra

18 abr 2012
11h04
atualizado às 11h09
  • separator

A ministra da cultura da Suécia, Lena Adelsohn Liljeroth, causou polêmica durante uma festa de arrecadação de fundos realizada no último sábado, Dia Mundial da Arte. Fotos dela cortando um bolo com a forma de uma mulher negra nua se espalharam pelas redes sociais e causaram indignação por sua conotação racista. Depois do episódio, a ministra recebeu diversos pedidos para que renunciasse ao cargo, segundo o jornal sueco Dagens Nyheter.

Imagem retirada de um vídeo publicado no Youtube mostra o polêmico bolo em forma de uma mulher negra
Imagem retirada de um vídeo publicado no Youtube mostra o polêmico bolo em forma de uma mulher negra
Foto: Reprodução

As fotos mostram Lena cortando a genitália da mulher esculpida no bolo (um ator escondido sob a mesa cuja cabeça representava a face da escultura gritava de dor a cada fatia retirada do bolo). A brincadeira vai de encontro às suas posições políticas, marcadas por ações antirracismo, diz a publicação local Fria Tider. Mas organizações não levaram isso em conta e a criticaram. "A participação de Lena insulta quem sofre com racismo e agride as vítimas de mutilação genital", protestou Kitimbwa Sabuni, porta-voz da Associação Nacional Afro-Sueca.

Ao falar com a agência de notícias TT, Lena disse ter entendido a indignação, mas defendeu seu comportamento. "Eu sei que foi provocativo e mesmo que se tornou uma situação bizarra. Eu fui convidada para falar no Dia Mundial da Arte sobre a liberdade artística e o direito de provocar. E então me pediram para cortar o bolo", afirmou. O artista responsável pela obra foi identificado pelo jornal The Local como Makode Aj Linde.

Veja também:

O mergulhador paraplégico que ajuda a limpar mar em Israel
Fonte: Terra
publicidade