0

Líder tcheco defende envio da Otan para defender Ucrânia

Segundo Milos Zeman, tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte devem ser enviadas à Ucrânia caso a Rússia decida invadir o país

6 abr 2014
22h08
atualizado às 22h11
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente tcheco, Milos Zeman, avaliou neste domingo que a Otan deveria enviar tropas à Ucrânia caso a Rússia decida invadir o leste daquele país, informou a rádio estatal tcheca.

<p>O presidente tcheco, Milos Zeman, defendeu o envio de tropas da OTAN à Ucrânia no caso da Rússia tentar invadir o país</p>
O presidente tcheco, Milos Zeman, defendeu o envio de tropas da OTAN à Ucrânia no caso da Rússia tentar invadir o país
Foto: AFP

"Se a Rússia decidir estender sua expansão territorial sobre o leste da Ucrânia, acabou a conversa. Neste caso, não vou apenas pedir as maiores sanções possíveis por parte da União Europeia, mas também o aparato militar da OTAN, com o envio de suas tropas ao território ucraniano".

A Ucrânia é governada por uma administração pró-Europa desde a destituição do presidente pró-Rússia, Viktor Yanukovich, em fevereiro passado, após uma onda de manifestações em Kiev.

As manifestações favoráveis à união de regiões ucranianas com grandes populações de língua russa ao governo de Moscou têm sido frequentes desde a queda do governo de Kiev.

Manifestantes favoráveis à Rússia invadiram neste domingo prédios públicos nas cidades de Donetsk, Kharkiv e Lugansk, no leste da Ucrânia, para exigir um referendo sobre a "federalização" ou a anexação à Rússia.

No mês passado, um referendo não autorizado por Kiev e apoiado por Moscou deu a independência à província da Crimeia, de maioria russófona, que se juntou à Federação Russa.

 

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade