PUBLICIDADE

Europa

Italiano muda de sexo e vai à Justiça para manter casamento

Conselho local determinou que Alessandro se separasse da esposa após a cirurgia; ele promete levar o caso ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos, caso perca o processo

12 jun 2014 - 10h48
(atualizado às 11h00)
Compartilhar
Exibir comentários
<p>Alessandro Bernaroli, hoje Alessandra, luta na Justiça para manter o relacionamento com a atual companheira, com quem está casado desde 2005</p>
Alessandro Bernaroli, hoje Alessandra, luta na Justiça para manter o relacionamento com a atual companheira, com quem está casado desde 2005
Foto: The Telegraph / Reprodução

Um italiano que passou por uma cirurgia de mudança de sexo está desafiando o Estado, que se recusa a permitir que ele permaneça casado com a atual esposa, de acordo com o The Telegraph.

Quando Alessandro Bernaroli - agora Alessandra Bernaroli - oficializou o matrimônio com a companheira, há nove anos, ele já tinha o desejo de tornar uma mulher, mas escondia essa ambição.

Ao saber da revelação do marido, a italiana ficou chocada, mas resolveu apoiá-lo em sua decisão de realizar a cirurgia de mudança de sexo na Tailândia.

A família de Bologna, norte da Itália, resolveu levar o caso à Corte Constitucional de Roma, pois um Conselho local alegou que os dois não podiam permanecer casados, após ambos tentarem renovar os documetnos de identidade. 

"Meu corpo mudou, mas o amor que existe entre nós ainda é o mesmo. Eu estou agindo para defender meu casamento", declarou Alessandro, de 43 anos.

Ele revelou que, desde pequeno, se sentia confuso com relação a sua sexualidade. "Quando era criança, eu gostava de brincar com as meninas, eu tentava entender a feminilidade delas. Eu cheguei a sonhar que me tornava uma mulher, mas não tinha ideia do que era transexualidade", contou.

Alessandro está decidido a lutar até o fim pelo seu casamento: "Espero que eles levem em conta a peculiaridade do caso", disse o bancário, garantindo que, se perder a causa, se dirigirá ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade