0

Irmão de princesa está entre as vítimas do massacre na Noruega

25 jul 2011
07h53
atualizado às 08h39

O meio-irmão da princesa Mette-Marit da Noruega está na lista das 86 vítimas do massacre na ilha de Utoya, nos arredores de Oslo, anunciou o Palácio Real nesta segunda-feira.

A polícia continua as buscas no lago Tyrifjorden por vítimas do atirador que matou dezenas em Utoya
A polícia continua as buscas no lago Tyrifjorden por vítimas do atirador que matou dezenas em Utoya
Foto: AP

Trond Berntsen, 51 anos, era policial mas não estava a serviço no momento do ataque. Mesmo assim, ele tentou deter Anders Behring Breivik (acusado pelo atentado) depois de salvar seu filho, publicou o diário Verdens Gang (VG), citando testemunhas.

"O atirador não hesitou por um segundo durante sua fúria assassina e matou o policial, que não estava armado", divulgou o VG.

De acordo com outros jornais, Trond Bernsten estava em Utoya porque tinha sido contratado como segurança particular pelos 600 jovens reunidos num acampamento de verão da juventude trabalhista na ilha.

Bernsten era filho do segundo marido da mãe de Mette-Marit, que se tornou princesa em 2001 após o casamento com o príncipe herdeiro,Haakon.

Tragédia na Noruega
A Noruega viveu na última sexta-feira, dia 22, a maior tragédia do país desde a Segunda Guerra Mundial. Dois atentados deixaram, até o momento, um saldo de 93 mortos. Primeiro, uma bomba explodiu no centro da capital, Oslo, na região onde estão localizados vários prédios governamentais, inclusive o escritório do premiê, Jens Stoltenber. Sete pessoas morreram, mas a polícia admite possa haver corpos não resgatados nos prédios.

A segunda tragédia aconteceu em uma ilha próxima da capital, Utoya. Lá, Anders Behring Breivik, um homem de 32 anos vestido com uniforme da polícia, abriu fogo contra jovens reunidos em um acampamento de verão. Ao menos 86 morreram, a maioria pelos tiros disparados. Alguns outros morreram afogados após tentarem fugir nadando. Anders foi detido logo depois, pela polícia, e admitiu o crime. O atirador, que é ligado à extrema-direita e publicou um manifesto na internet chamando à violência contra muçulmanos e comunistas, também tem envolvimento no ataque em Oslo. Ele deve prestar depoimento na segunda-feira.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade