1 evento ao vivo

Homem é detido na Polônia por relação com atentados na Noruega

25 jul 2011
09h36
atualizado às 11h07

Um cidadão polonês foi detido nesta segunda-feira pela Polícia na Cracóvia (oeste da Polônia) relacionado com o duplo atentado de Oslo, no qual morreram 93 pessoas, informou o canal de televisão norueguês TV 2.

Pawel Bialek, vice-chefe da agência ABW, fala sobre a compra de fertilizantes de uma empresa polonesa pelo atirador norueguês
Pawel Bialek, vice-chefe da agência ABW, fala sobre a compra de fertilizantes de uma empresa polonesa pelo atirador norueguês
Foto: Reuters

A notícia, divulgada primeiramente pela imprensa polonesa, indica que agentes da Polônia detiveram no domingo um homem apontado como cúmplice do atentado com carro-bomba no distrito governamental de Oslo, no qual morreram sete pessoas.

Aparentemente, poucas horas após os atentados, a polícia norueguesa havia alertado os agentes poloneses sobre o detido, um homem que vendia fertilizantes pela internet. Segundo o jornal norueguês Dagbladet, o detido poderia permanecer até 48 horas detido até que se apresentem acusações contra ele.

Até o momento, apenas Anders Behring Breivik, um norueguês de 32 anos ligado à extrema-direita, havia sido detido relacionado ao duplo massacre, quem confessou agir sozinho no atentado com carro-bomba e no tiroteio. A polícia parte do princípio que o suspeito atuou sozinho, mas não descarta a participação de cúmplices no atentado de Oslo.

Tragédia na Noruega
A Noruega viveu na última sexta-feira, dia 22, a maior tragédia do país desde a Segunda Guerra Mundial. Dois atentados deixaram, até o momento, um saldo de 93 mortos. Primeiro, uma bomba explodiu no centro da capital, Oslo, na região onde estão localizados vários prédios governamentais, inclusive o escritório do premiê, Jens Stoltenber. Sete pessoas morreram, mas a polícia admite possa haver corpos não resgatados nos prédios.

A segunda tragédia aconteceu em uma ilha próxima da capital, Utoya. Lá, Anders Behring Breivik, um homem de 32 anos vestido com uniforme da polícia, abriu fogo contra jovens reunidos em um acampamento de verão. Ao menos 86 morreram, a maioria pelos tiros disparados. Alguns outros morreram afogados após tentarem fugir nadando. Anders foi detido logo depois, pela polícia, e admitiu o crime. O atirador, que é ligado à extrema-direita e publicou um manifesto na internet chamando à violência contra muçulmanos e comunistas, também tem envolvimento no ataque em Oslo. Ele deve prestar depoimento na segunda-feira.

EFE   
publicidade