0

Grupo mata funcionário estrangeiro e sequestra outros em instalações da BP na Argélia

16 jan 2013
12h34
atualizado às 12h50

Um estrangeiro foi morto, dois ficaram feridos, e outros foram feitos reféns em um ataque nesta quarta-feira contra um alojamento de funcionários de instalações petroleiras na região argelina de In Aménas, perto da fronteira com a Líbia, anunciou o Ministério do Interior da Argélia.

"Um cidadão estrangeiro morreu durante esse ataque rechaçado por unidades de escolta, enquanto seis pessoas (dois estrangeiros, dois guardas e dois agentes de segurança) ficaram feridos", indica um comunicado do ministério, citado pela agência APS, sem revelar as nacionalidades das vítimas. O grupo "se dirigiu, em seguida, para o alojamento, onde atacou uma parte e fez um número indeterminado de trabalhadores reféns, incluindo estrangeiros", acrescentou.

Ainda de acordo com a APS em informações anteriores, os islamitas diziam-se do Mali e as instalações atacadas pertencem à British Petroleum.

Entre os sequestrados estariam japoneses, um norueguês e um irlandês, segundo fontes concordantes.

Ainda há muita confusão em torno da nacionalidade dos reféns. Fontes diplomáticas ocidentais em Argel indicaram um cidadão britânico, um norueguês e japonês, enquanto que o deputado argelino Mahmoud Guemama, da região de Tamanrasset, sul da Argélia, indicou um francês e quatro japoneses tomados como reféns.

O Ministério irlandês das Relações Exteriores confirmou que um cidadão irlandês, originário da província britânica da Irlanda do Norte, estava entra as pessoas sequestradas. "Ele é originário da Irlanda do Norte, mas possui um passaporte irlandês", declarou à AFP uma porta-voz do ministério.

"Temos informações de um alguns japoneses mantidos reféns, mas estamos verificando essas informações no momento", afirmou à imprensa um porta-voz do governo em Tóquio.

"Para ajudar os japoneses e garantir sua segurança, nós tomamos as medidas necessárias para trabalharmos com o governo argelino", acrescentou.

Um porta-voz da embaixada da França informou que "não pode confirmar que um cidadão francês foi feito refém".

Um combatente contatado por telefone pela AFP afirmou que os agressores são membros da Al-Qaeda, vindos do Mali.

"Somos membros da Al-Qaeda e viemos do norte do Mali. Pertencemos à brigada Khaled Aboul Abbas, Mokhtar Belmokhtar", acrescentou, lembrando que a Belmokhtar "havia ameaçado responder a qualquer intervenção militar no Mali".

A França realiza desde sexta-feira uma intervenção militar no Mali para impedir uma ofensiva de grupos islamitas armados ligados à Al-Qaeda.

O grupo petroleiro britânico BP confirmou que um "incidente de segurança" havia sido registrado nesta quarta de manhã nas instalações de seu campo de gás.

"Podemos confirmar que houve um incidente ligado à segurança esta manhã no campo de gás de In Amenas, no centro-leste da Argélia", próximo da fronteira com a Líbia, a cerca de 1.300 quilômetros de Argel, indicou a empresa em um comunicado, acrescentando que "não possui outras informações confirmadas até o momento".

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade