PUBLICIDADE

França: policial morto em ataque à revista era muçulmano

Ahmed Merabet foi visto deitado em uma calçada, com as mãos para cima em sinal de rendição, mas foi morto a tiros à queima-roupa

8 jan 2015 09h22
| atualizado às 10h53
ver comentários
Publicidade
Policial muçulmano foi morto em ataque terrorista nesta quarta-feira
Policial muçulmano foi morto em ataque terrorista nesta quarta-feira
Foto: Twitter

A primeira vítima fatal do ataque à sede da revista satírica Charlie Hebdo nesta quarta-feira foi Ahmed Merabet, 42 anos, um policial que seria muçulmano. O homem teria implorado por sua vida, com as mãos para cima, mas levou vários tiros e morreu no local. As informações são do The Independent.

Merabet foi visto deitado em uma calçada, com as mãos para cima em sinal de rendição. Segundo testemunhas, o policial teria perguntado aos atiradores “vocês querem me matar?”, ao que um dos dois respondeu “Ok, chefe”, disparando à queima roupa, em seguida.

O agente deixa a mulher e dois filhos pequenos.

O policial Franck Brinsolaro também foi morto no incidente de ontem. Além dos dois agentes, oito jornalistas foram mortos no atentado – entre eles, os chargistas famosos Charb, Cabu, Wolinski e Tignous.

A polícia francesa está à procura dos responsáveis pelo ataque. Os principais suspeitos são os irmãos Cherif e Said Kouachi, que foram vistos por um gerente de posto de gasolina no norte da França.

Um terceiro suspeito, Hamyd Mourad, 18 anos, teria se entregado na madrugada desta quinta-feira e alegou inocência.

Saiba quem são as 12 vítimas fatais do atentado em Paris

Vídeo mostra homens atirando em policial em ataque em Paris:

 

Je suis Charlie: multidão faz vigília após ataque em Paris:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade