7 eventos ao vivo

França justifica alerta antiterrorista após ameaça de Bin Laden

27 out 2010
17h14
atualizado às 17h54

O ministro do Interior francês, Brice Hortefeux, afirmou nesta quarta-feira que se a ameaça contra seu país lançada pelo líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, for confirmada, o nível de vigilância antiterrorista adotado por seu departamento é justificável. Na gravação, emitida pela emissora "Al Jazira", Bin Laden afirma que o sequestro de cinco cidadãos franceses no Níger é a resposta aos ataques franceses contra a nação muçulmana.

O líder do grupo terrorista se refere em sua mensagem à lei francesa que proíbe mulheres de vestir a burka em locais públicos e à presença de tropas francesas do Afeganistão. Segundo Hortefeux, "essas declarações justificam a manutenção da resposta diante da ameaça de ataques", referindo-se ao plano antiterrorista.

"Supondo que sejam autênticas (as palavras de Bin Laden), dão continuidade às diferentes ameaças que foram formuladas contra nosso país e nossos cidadãos no exterior e na França", afirmou o ministro.

Ele ainda disse que "a ameaça e a vigilância são totais" e lembrou que "84 ativistas islâmicos foram detidos na França neste ano, dos quais 27 continuam presos". O país mantém seu nível de vigilância antiterrorista no segundo nível mais elevado desde 2005.

No último dia 17, o ministro revelou que os serviços secretos sauditas comunicaram aos europeus sobre uma ameaça terrorista no Continente, em particular na França, uma advertência que também chegou da Interpol e de outras fontes.

Hortefeux lembrou que, em 9 de setembro, a presença policial e militar em lugares públicos foi reforçada diante das informações que indicavam que uma terrorista suicida pretendia realizar um ataque em Paris. A Torre Eiffel foi evacuada em algumas ocasiões, assim como diferentes estações de metrô da cidade.

EFE   

compartilhe

publicidade