Europa

publicidade
27 de dezembro de 2011 • 18h42 • atualizado às 18h47

EUA pedem que Ucrânia liberte opositora Yulia Tymoshenko

 

Os Estados Unidos pediram nesta terça-feira que a Ucrânia liberte a ex-premiê Yulia Tymoshenko, depois de um tribunal rejeitar a apelação de uma condenação a sete anos de prisão por abuso de poder.

O Departamento de Estado disse que estava "decepcionado" pela sentença da corte ucraniana, afirmando também que Tymoshenko e outros funcionários detidos deveriam poder participar de forma plena na vida política do país.

Tymoshenko, líder da Revolução Laranja de 2004, foi sentenciada em outubro por abuso de poder enquanto era primeira-ministra, em um processo judicial iniciado meses depois de perder uma acirrada eleição contra o presidente, Viktor Yanukovych.

"Os Estados Unidos estão decepcionados com o fato de a Corte de Apelações de Kiev confirmar a condenação de 23 de dezembro para Yulia Tymoshenko", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner.

O governo americano também disse estar decepcionado com o fato de o tribunal não ter respondido a "questões sobre a democracia e Estado de Direito feitas no primeiro julgamento e na condenação", completou Toner.

"Pedimos ao governo ucraniano que liberte Tymoshenko e outros ex-membros do governo que estão presos", afirmou.

"Acreditamos que deveriam ter acesso sem restrições para participar de forma plena na vida política, incluindo as eleições parlamentares do ano que vem", disse.

No ano passado, as autoridades ucranianas prenderam os ex-ministros do Meio Ambiente, Interior e o vice-ministro da Justiça do governo de Tymoshenko.

AFP