2 eventos ao vivo

Documentos mostram vínculos entre Londres e serviços secretos da Líbia

22 abr 2012
07h04
atualizado às 07h27

Centenas de documentos encontrados na Líbia revelam os "vínculos estreitos" que supostamente uniam os agentes dos serviços secretos britânicos e os da inteligência líbia, informou neste domingo o jornal The Mail on Sunday.

Segundo esses documentos achados em arquivos líbios, espiões do Serviço Secreto Britânico (MI5) entregaram a colegas líbios informações sobre alguns dos opositores ao regime do falecido ditador Muammar Kadafi que haviam fugido para o Reino Unido.

Em 2006, dois agentes líbios do regime de Kadafi foram recebidos no aeroporto londrino de Heathrow, antes de receberem hospedagem em uma casa segura no bairro de Knightsbridge e telefones celulares.

O deputado conservador David Davies disse ao jornal que a informação contida nos arquivos sugere que o MI5 esteve implicado em atividades "peculiares" que envolviam cidadãos líbios que se encontravam no Reino Unido.

Na quarta-feira passada, o líder rebelde líbio, Abdel Hakim Belhadj, oposto ao regime de Kadafi, iniciou trâmites legais contra o ex-ministro de Exteriores britânico, Jack Straw, por supostamente autorizar sua detenção e entrega ilegal à Líbia em um voo secreto da CIA em 2004.

Belhadj, que naquele ano era dirigente do grupo de combate islâmico líbio e estava exilado em Pequim, acusa Straw de ter aprovado uma operação do MI6 que levou à sua detenção na Tailândia e à sua eventual entrega ao regime de Muammar Kadafi.

O litigante, que foi chefe do Conselho Militar de Trípoli durante a revolta que acabou com a queda de Kadafi no ano passado, assegura que foi preso em Bangcoc junto com sua esposa grávida, Fátima, com quem tinha vivido exilado na China, quando se dirigiam ao Reino Unido para solicitar asilo.

Depois ambos foram transferidos à Líbia, onde ele foi preso e supostamente torturado.

Davies assinalou que "a operação que levou Belhadj e outros a serem extraditados à Líbia não foi a única que aconteceu em parceria com os serviços de segurança líbios".

Segundo as atas de uma reunião entre agentes secretos, um membro dos serviços de inteligência britânicos indicou que esse organismo devia "ter cuidado sobre como se aproxima de um alvo, pois essa pessoa poderia entrar em contato com organizações de direitos humanos ou a imprensa e causar um escândalo grave de segurança que exponha a cooperação entre os serviços secretos do Reino Unido e da Líbia".

Essas relações próximas entre Trípoli e Londres também estão expostas em outros documentos confidenciais aos quais teve acesso o jornal britânico "The Sunday Telegraph".

Esse jornal denunciou hoje que a espionagem britânica e os serviços secretos líbios criaram uma mesquita radical em uma cidade europeia para atrair terroristas da Al Qaeda.

EFE   
publicidade