0

Crimeia: milhares festejam retorno à Rússia com grande festa

17 mar 2014
00h20
atualizado às 03h56
  • separator
  • comentários

Mais de vinte mil pessoas se reuniram na noite de domingo na praça de Lênin de Simferopol, capital da república separatista da Crimeia, para festejar a vitória da reunificação com a Rússia no referendo.

Um mar de bandeiras tricolores russas inundou a praça, onde aconteceu um show em que se ouviu um repertório de canções patrióticas e militares russas, interpretadas entre outros pelo grupo Liube, o favorito do presidente russo, Vladimir Putin.

"Crimeia é Rússia" e "Gloria à Rússia" eram as palavras usadas para festejar o resultado do referendo em um ato que tinha como pano de fundo uma imponente estátua de Lênin, fundador da União Soviética.

Embargados pela emoção, crimeanos de todas as idades dançavam, brindavam com vodka e cerveja pela pátria mãe, se abraçavam e se beijavam sem rubor, e não deixavam de gritar "Hurra".

Os crimeanos que foram às ruas após o fechamento dos colégios eleitorais festejavam a libertação do jugo ucraniano, que para eles transformou a próspera península soviética em uma colônia.

"Eu sou ucraniano de pura cepa, mas minha mulher pertence à sexta geração de russos da Crimeia. Os ucranianos se deram tão mal com nossa gente que eu também estou a favor da reunificação com a Rússia", confessou à agência EFE Anatoli, empresário.

Durante a comemoração o primeiro-ministro da república, Sergei Axionov, e o presidente do parlamento, Vladimir Konstantinov, subiram ao palco para cumprimentar os crimeanos pela vitória da opção russa no plebiscito.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/mundo/crise-na-ucrania/" href="http://noticias.terra.com.br/mundo/crise-na-ucrania/">veja o infográfico</a>

"Os parabenizo. Voltamos para casa. A Crimeia ingressará na Rússia. Hurra, camaradas. Conseguimos graças ao seu apoio. Ninguém poderá arrebatar esta vitória", proclamou Axionov. O líder crimeano ressaltou que sem o apoio do povo e do presidente russo, Vladimir Putin, a vitória no referendo teria sido impossível.

Em seguida todos os presentes entoaram o hino russo com a mão no peito ou o braço levantado, e logo depois começou um espetáculo de fogos de artifício, para o êxtase dos habitantes de Simferopol.

"Agradeço a Deus por escutar minhas preces. Finalmente voltamos à Rússia. Como podem não entender no Ocidente que a Crimeia é terra russa há séculos?", assinalou Sveta, funcionária de uma loja de joias, que não parava de dançar e abraçar suas amigas.

Após a apuração de 75% das cédulas, 95,7% dos crimeanos tinham se manifestado a favor da entrada na Federação Russa, enquanto só 3,2% apoiaram uma ampla autonomia no seio da Ucrânia.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/mundo/ucrania-x-russia/" href="http://noticias.terra.com.br/mundo/ucrania-x-russia/">veja o infográfico</a>

As autoridades separatistas não perderam tempo e na segunda-feira o parlamento crimeano referendará os resultados da consulta e se dirigirá oficialmente a Putin para pedir a incorporação da república à federação russa.

A partir de agora, os crimeanos poderão solicitar o passaporte e a permissão de dirigir em vigor na Rússia, enquanto as autoridades adotarão o rublo como moeda e também o fuso horário vigente no vizinho do norte.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade