0

Cientistas gregos criam nova escala de medição de tsunamis

27 mar 2013
12h55
atualizado às 14h30
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Usina nuclear Fukushima Daiichi, da Tokyo Electric Power Co, é vista após ser atingida por tsunami</p>
Usina nuclear Fukushima Daiichi, da Tokyo Electric Power Co, é vista após ser atingida por tsunami
Foto: Tokyo Electric Power Co / Reuters

Cientistas gregos criaram uma escala para medir os tsunamis usando dados dos dois últimos desastres provocados por estas ondas gigantescas no Oceano Índico e no Japão, indicou a agência de notícias Ana.

Esta nova escala de intensidade, que vai até 12 graus, foi adotada pela Sociedade Sismológica dos Estados Unidos, um organismo de referência neste campo, afirmou à AFP o sismólogo Efthymios Lekkas.

Para quem elaborou este instrumento chamado Escala Integrada de Intensidade de Tsunami (ITIS, sigla em inglês), os sistemas de medida anteriores são muito antigos. "São sistemas estabelecidos com base em elementos muito limitados, já que não foi computado nenhum tsunami durante 40 anos até o de 2004", explicaram.

A escala ITIS integra o conjunto de dados arrecadados depois dos tsunamis gigantes de 2004 e 2011, ambos considerados de força 12 pelos cientistas gregos.

A equipe da Universidade de Atenas aplicou este novo modelo aos grandes tsunamis históricos, como o que devastou em 1640 antes de nossa era as costas sul-orientais do Mediterrâneo, depois da erupção explosiva do vulcão da ilha grega de Santorini, ou o que afetou Portugal em 1755. Ambos tiveram força 12, segundo Lekkas.

Um terremoto e um tsunami em março de 2011 causaram mais de 20 mil mortos ou desaparecidos no nordeste do Japão e provocaram uma catástrofe nuclear na central de Fukushima.

Veja também:

As mortes sem holofotes de quem luta pelo meio ambiente no Brasil e no mundo
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade