0

Chanceler russo se nega a encontrar colega ucraniano

O Ocidente aumentou a pressão sobre a Rússia para obter uma "desescalada" da crise ucraniana antes de uma reunião extraordinária na quinta-feira em Bruxelas da UE

5 mar 2014
14h51
  • separator
  • comentários

O chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, recusou-se a encontrar o seu colega ucraniano Andrii Dechtchitsa nesta quarta-feira em Paris, levando este último a decidir deixar a França, de acordo com fontes diplomáticas.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, deixa o Palácio do Eliseu, em Paris
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, deixa o Palácio do Eliseu, em Paris
Foto: Reuters

Apesar da pressão britânica e americana, "Sergei Lavrov se recusou a ver" Andrii Dechtchitsa, disse à AFP a embaixada da Ucrânia em Paris. O chanceler ucraniano decidiu, então, deixar a França e retornar à Ucrânia, mas houve uma "mudança de planos", segundo a mesma fonte.

Enquanto isso, os Estados Unidos informaram que o ministro ucraniano não tinha deixado a França. Andrii Dechtchitsa chegou terça-feira em Paris, por iniciativa do secretário de Estado americano John Kerry. Este viajou para Kiev na terça-feira para apoiar o novo governo ucraniano, que Moscou não reconhece.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia "não partiu e pretende ficar em Paris para futuras discussões", disse uma autoridade americana, que pediu anonimato. Nesta quarta-feira à tarde, Kerry e Lavrov se reuniram em Paris, segundo fontes diplomáticas.

Os ocidentais aumentaram a pressão sobre a Rússia para obter uma "desescalada" da crise ucraniana antes de uma reunião extraordinária na quinta-feira em Bruxelas da União Europeia, que prometeu adotar sanções caso Moscou não mostre flexibilidade com relação à crise na Ucrânia.

A Alemanha tenta negociar desde o início da semana a criação de um grupo de contato sobre a Ucrânia.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade