0

Britânicos investigam possível ligação nigeriana com morte em Londres

Dois suspeitos foram levados sob custódia após o ataque, que o governo britânico disse parecer ser um ato de terrorismo

22 mai 2013
19h52
atualizado às 20h41
  • separator
  • 0
  • comentários

A Grã-Bretanha está investigando uma possível ligação da Nigéria com os suspeitos de matar um soldado a facadas em Londres enquanto gritavam slogans islâmicos, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento da investigação sob condição de anonimato.

Um homem morreu e outras duas pessoas ficaram feridas em um ataque com um machete (tipo de facão) na região sudeste de Londres
Um homem morreu e outras duas pessoas ficaram feridas em um ataque com um machete (tipo de facão) na região sudeste de Londres
Foto: AFP

Dois suspeitos foram levados sob custódia após o ataque, que o governo britânico disse parecer ser um ato de terrorismo. A polícia ainda não identificou os suspeitos.

As fontes, falando de forma independente, afirmaram que uma ligação nigeriana estava sendo investigada, mas não deram mais detalhes sobre a natureza da ligação. A polícia se recusou a comentar.

Na tarde desta quarta-feira, um soldado britânico foi morto a facadas em uma rua de Londres, no que o primeiro-ministro David Cameron descreveu como um aparente atentado terrorista. A vítima é um soldado agredido sob plena luz do dia por homens não-identificados, que tentaram decapitá-lo e que gritavam, em árabe, que "Deus é grande", segundo relatos da imprensa. Logo depois do ataque, dois homens armados foram baleados por policiais.

Cameron abreviou uma visita à França para voltar a Londres e comandar uma reunião de emergência do gabinete de segurança nacional. "Este é o crime mais assustador", disse Cameron em Paris. "A polícia está urgentemente buscando os fatos totais sobre esse caso, mas há fortes indicações de que é um incidente terrorista."

A polícia isolou ruas do bairro de Woolwich, na zona sudeste de Londres, e helicópteros sobrevoaram a área depois do ataque. Poças de sangue manchavam o chão.

Um vídeo gravado por um transeunte e transmitido pelo canal britânico ITV mostrou um homem com as mãos ensaguentadas e segurando uma faca, também coberta de sangue. "Peço desculpas às mulheres que tiveram de testemunhar isso, mas nas nossas terras nossas mulheres têm de ver as mesmas coisas", disse o homem, agitado e nervoso. "Vocês nunca ficarão seguros. Derrubem seu governo. Ele não liga para vocês."

O homem podia estar se referindo ao Afeganistão, onde soldados britânicos são parte da força internacional que apoia o governo local na sua luta contra insurgentes do Taliban.

Em 2005, Londres sofreu dois atentados nas suas redes de transportes públicos, atribuídos a militantes ligados à Al-Qaeda. Recentemente, autoridades britânicas de contraterrorismo alertaram que indivíduos radicalizados, os chamados "lobos solitários", que podem nunca ter tido contato com a Al Qaeda, representam uma ameaça tão grande quanto os militantes responsáveis pelos ataques de 2005.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade