0

Breivik nega relação entre crime e jogo: "querem me ridicularizar"

6 jun 2012
13h20
atualizado às 13h32

O tribunal responsável pelo processo de Anders Behring Breivik, julgado pela morte de 77 pessoas no ano passado, analisou longamente nesta quarta-feira o RPG on-line World of Warcraft, que o extremista jogava de maneira intensiva antes do massacre, mas sobre o qual ele se mostrou pouco eloquente diante da Justiça em Oslo.

Anders Breivik se mostrou pouco eloquente sobre o RPG on-line World of Warcraft
Anders Breivik se mostrou pouco eloquente sobre o RPG on-line World of Warcraft
Foto: AP

Em diversas oportunidades, a acusação tentou fazer Breivik falar de seu vício pelos jogos nos anos que antecederam os ataques de 22 de julho de 2011, parando com frequência no silêncio do réu.

"World of Warcraft não tem nada a ver com o dia 22 de julho", disse o acusado. "A promotoria tenta apenas me ridicularizar", acrescentou, chegando a desligar o seu microfone em um momento, incomodado com as perguntas insistentes do procurador Svein Holden.

No passado, Breivik explicou ter tirado um ano sabático em 2006 para se dedicar inteiramente a esse jogo on-line, passado em um universo medieval fantástico e, geralmente, considerado não-violento, para jogá-lo por até 16 ou 17 horas por dia.

Nesta quarta-feira, foram apresentadas provas de que ele havia jogado intensivamente "Warcraft" até fevereiro de 2011, apenas alguns meses antes de colocar uma bomba perto da sede do governo em Oslo, e depois abrir fogo contra jovens trabalhistas reunidos na ilha de Utoya. Esses dois ataques deixaram 77 mortos, a maioria adolescentes.

Sem fazer referência ao jogo, o procurador explicou durante uma entrevista coletiva à imprensa após a audiência que suas perguntas tinham como objetivo mostrar incoerências nas explicações de Breivik e ajudar a determinar seu estado de saúde mental.

Breivik afirma que se dedicou a escrever "o tempo todo" seu manifesto ideológico a partir de 2007, uma atividade pouco compatível com a prática assídua de World of Warcraft. No entanto, em 2008, ele escreveu que tinha se dedicado "non stop" ao jogo.

Diante desta contradição aparente, o extremista de 33 anos se defendeu explicando ter dividido o seu tempo entre seu manifesto e os jogos. "Você é procurador em tempo integral e, portanto, tem certamente 'hobbies' quando chega em casa à noite", respondeu a Holden.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade