1 evento ao vivo

Após se dizer inocente, atirador ficará 4 semanas isolado

25 jul 2011
10h30
atualizado às 13h04

O norueguês Anders Behring Breivik ficará preso por oito semanas, quatro delas em completo isolamento, anunciou nesta segunda-feira um juiz do tribunal de Oslo em entrevista coletiva. Breivik, 32 anos, confessou ter planejado o duplo atentado ocorrido na última sexta-feira que matou, ao todo, 93 pessoas, o maior massacre ocorrido no país desde a Segunda Guerra Mundial.

O juiz Kim Heger anuncia sua decisão de manter o atirador em isolamento completo por 4 semanas, em Oslo
O juiz Kim Heger anuncia sua decisão de manter o atirador em isolamento completo por 4 semanas, em Oslo
Foto: AFP

A decisão foi tomada pelo juiz Kim Heger após Breivik prestar depoimento, na corte de Oslo. Na sessão, o norueguês admitiu ter sido o autor da explosão em Oslo e do tiroteio na ilha de Utoya. Apesar disso, Breivik se declarou inocente, argumentando que ele queria salvar a Noruega e a Europa do "Marxismo cultural", além de defendê-las do islamismo.

Segundo o acusado, o objetivo dos ataques não era deixar o máximo de vítimas. Em entrevista aos veículos de imprensa locais, o advogado do atirador explicou que o homem acreditar estar fazendo uma revolução para mudar a sociedade.

Durante o depoimento, Anders Behring Breivik afirmou que existem "duas outras células em nossa organização". Depois, em entrevista coletiva, o juiz afirmou que o homem não terá contato com qualquer pessoa, nem com informações da mídia durante as próximas quatro semanas.

Tragédia na Noruega

A Noruega viveu na última sexta-feira, dia 22, a maior tragédia do país desde a Segunda Guerra Mundial. Dois atentados deixaram, até o momento, um saldo de 76 mortos. As autoridades chegaram a divulgar que 93 pessoas tinham morrido nos ataques, mas revisaram os dados e informaram um novo balanço na segunda, dia 25. Primeiro, uma bomba explodiu no centro da capital, Oslo, na região onde estão localizados vários prédios governamentais, inclusive o escritório do premiê, Jens Stoltenber. Oito pessoas morreram, mas a polícia admite que possa haver corpos não resgatados nos prédios.

A segunda tragédia aconteceu na ilha de Utoya, próxima à capital. Lá, Anders Behring Breivik, um homem de 32 anos vestido com uniforme da polícia, abriu fogo contra jovens reunidos em um acampamento de verão. Ao menos 68 morreram, a maioria pelos tiros disparados. Alguns outros morreram afogados após tentarem fugir nadando. Anders foi detido logo depois, pela polícia, e admitiu o crime. O atirador, que é ligado à extrema-direita e publicou um manifesto na internet chamando à violência contra muçulmanos e comunistas, também tem envolvimento no ataque em Oslo.

Com informações de agências internacionais.

Fonte: Terra
publicidade