0

Após conflito, Rússia e Geórgia reabrem fronteira fechada

1 mar 2010
06h52
atualizado às 13h13
  • separator

A passagem fronteiriça de Dariali, na Geórgia, e de Vernjny Lars, na Rússia, foi aberta hoje após quase três anos fechada, tornando-se o primeiro posto de controle terrestre entre ambos os países a entrar em funcionamento após o conflito pela Ossétia do Sul travado em agosto de 2008.

Guarda russo cuida de posto na fronteira com a Geórgia, reaberto nesta segunda-fiera, em Verkhny Lars
Guarda russo cuida de posto na fronteira com a Geórgia, reaberto nesta segunda-fiera, em Verkhny Lars
Foto: Reuters

O entreposto, o único entre ambos os países que não passa pelo território da separatista Ossétia do Sul, estava fechado para obras e sua reabertura foi acertada no fim do ano passado, com a mediação da Armênia.

"O posto de controle de Dariali foi aberto hoje, como estava previsto, às 6h (hora local). Por enquanto, nenhuma pessoa se aproximou daqui. Estamos esperando os primeiros que quiserem atravessar a fronteira", declarou Georgui Geguechkori, chefe da Polícia georgiana.

Já o chefe do Departamento de Fronteiras da república russa da Ossétia do Norte, Serguei Dorofeyev, disse à agência "Interfax" que a passagem fronteiriça tem capacidade para atender a 7 mil viajantes, 50 ônibus e 900 utilitários diariamente.

A Geórgia rompeu relações diplomáticas com a Rússia em agosto de 2008, depois que o Kremlin reconheceu a independência da Abkházia e Ossétia do Sul.

O Ministério de Interior da Geórgia informou que não serão emitidos vistos no recém-reaberto posto fronteiriço.

A vice-ministra de Assuntos Exteriores georgiana, Nino Kalandazde, afirmou hoje que a abertura da passagem não representa nenhum perigo para a Geórgia.

"Em tese, sempre existe perigo em qualquer posto fronteiriço, mas neste caso específico podemos declarar com total responsabilidade que a segurança de todos os cidadãos e da Geórgia está totalmente garantida", declarou em entrevista coletiva.

Veja também:

Covid-19, gripe ou resfriado? Confira os sintomas
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade