PUBLICIDADE

Sanções americanas à Rússia envolvem círculo íntimo de Putin

Membros do governo russo, próximos a Vladimir Putin, estão na lista das novas sanções; além disso, 17 empresas podem ter bens congelados

28 abr 2014 10h49
| atualizado às 13h40
ver comentários
Publicidade
Obama anunciou novas sanções à Rússia nesta segunda-feira pela crise na Ucrânia
Obama anunciou novas sanções à Rússia nesta segunda-feira pela crise na Ucrânia
Foto: Reuters

O governo americano anunciou uma nova rodada de sanções à Rússia, devido à crise na Ucrânia, nesta segunda-feira.

A lista inclui nomes de duas pessoas do “círculo íntimo” do presidente Vladimir Putin, além de medidas que dificultam a obtenção de tecnologia para as Forças Armadas russas.

Entre os nomes estão o de Oleg Belavantsev, enviado à Crimeia pela Rússia para governar a região, Dmitry Kozak, vice-premiê da Federação Russa, Sechin, diretor-executivo da petroleira Rosneft, e Sergei Chemezov, diretor-geral da Rostec (corporação estatal russa para promoção do desenvolvimento, produção e exportação de produtos industriais de alta tecnologia), além de bancos como o InvestCapitalBank e o SMP Bank.

"Os Estados Unidos têm tomado outras medidas em resposta à contínua intervenção ilegal da Rússia na Ucrânia e atos de provocação que minam a democracia na Ucrânia e ameaçam a paz, segurança, estabilidade, soberania e integridade territorial", disse a Casa Branca em um comunicado nesta segunda-feira.

Desde uma reunião em Genebra, na Suíça, em 17 de abril, a Rússia "não fez nada" para cumprir os seus compromissos – ao contrário, “a crise intensificou ainda mais", afirmou o comunicado.

O Departamento do Tesouro vai impor sanções para sete funcionários do governo russo, incluindo dois membros do círculo íntimo do presidente Putin, que estarão sujeitos ao congelamento de seus bens e proibição de vistos para os EUA.

Além disso, 17 empresas ligadas ao círculo de Putin também estarão sujeitas a um congelamento de bens.

"O Departamento de Comércio impôs restrições adicionais para 13 dessas empresas, impondo a exigência de licença com a presunção de recusa para a exportação, reexportação ou outra transferência externa de itens de origem americana para as empresas."

 

União Europeia
Nesta segunda-feira a União Europeia também poderá lançar novas sanções ao país de Putin. O acordo entre os países da UE incluem 15 nomes na lista de personalidades russas e ucranianas que terão a proibição de visto e bens congelados no bloco pela situação na Ucrânia. 

As 15 personalidades, cujos nomes serão publicados na edição de terça-feira do Boletim Oficial da UE, se somarão aos 55 russos e ucranianos que já são submetidos a sanções europeias, não incluem empresas, pois o objetivo da nova rodada de sanções dos países europeus é "mandar uma mensagem clara" à Rússia sobre a necessidade de cumprir o acordo alcançado em Genebra em 17 deste mês para pôr fim à escalada de tensão.

Assim, poderiam ser incluídos apenas responsáveis diretos de ameaçar a soberania e integridade da Ucrânia, mas também pessoas participantes de tais atos, disseram.

Os 28 países da UE se mantêm, assim, na chamada "fase dois" de medidas restritivas contra a Rússia, consistente em identificar e sancionar pessoas supostamente responsáveis por desestabilizar a Ucrânia.

Funcionários do governo russo sancionados pelos EUA:
Oleg Belavantsev: nomeado presidencial enviado da Rússia para a Criméia em 21 de março de 2014, pelo presidente Putin.

Sergei Chemezov: diretor-geral da Rostec (corporação estatal para promoção do desenvolvimento, produção e exportação de produtos industriais de alta tecnologia). 

Dmitry Kozak: vice-primeiro-ministro da Federação Russa desde outubro de 2008.

Evgeniy Murov: diretor do Serviço Federal de Proteção da Rússia e um general do Exército.

Aleksei Pushkov: presidente do Comitê da Duma de Estado dos Assuntos Internacionais.

Igor Sechin: presidente do conselho para a Rosneft - principal empresa de petróleo da Rússia.

Vyacheslav Volodin: vice-chefe de Gabinete do Escritório Executivo Presidencial

Algumas das empresas sancionadas:

InvestCapitalBank e SMP Banco (controladas por Arkady e Boris Rotenberg), Stroygazmontazh (SGM Group - empresa de construção de gasodutos de propriedade ou controlada por Arkady Rotenberg), Grupo Volga (grupo de estratégia de investimentos), TRANSOIL (transporte ferroviário especializado em petróleo e derivados), Aquanika (Russkoye Vremya LLC - empresa de água mineral), Sakhatrans LLC (empresa de transporte envolvida em exportações de carvão e minério de ferro), Avia Group LLC (envolvido em infra-estrutura terrestre para o Centro de Negócios de Aviação no Aeroporto Internacional de Sheremetyevo, Moscou), Stroytransgaz Holding (uma holding para ativos de construção), Limited Liability Company Investment Company Abros (controlada pelo Bank Rossiya).

Com informações da CNN e da AFP.

Entenda a crise na Ucrânia Entenda a crise na Ucrânia

 

 

 

 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade