Estados Unidos

publicidade
13 de fevereiro de 2013 • 02h43 • atualizado às 03h46

Estado da União: republicanos criticam 'obsessão' de Obama por impostos

O senador de origem hispânica Marco Rubio foi o responsável pela resposta oficial dos republicanos
Foto: AP

O senador republicano de origem hispânica Marco Rubio criticou nesta terça-feira a "obsessão" do presidente americano, Barack Obama, por aumentar os impostos, em uma resposta oficial da oposição republicana ao discurso sobre o Estado da União.

Em sua mensagem, pronunciada em inglês e espanhol, Rubio também mostrou cautela diante do chamado de Obama por uma lei de reforma migratória nos próximos meses, ao assinalar que a cidadania para os ilegais deve depender de uma maior segurança na fronteira.

Rubio, astro em ascensão do Partido Republicano que chegou ao Senado em 2010, assinalou que a economia dos Estados Unidos teve uma contração de 0,1% no último trimestre de 2012, e afirmou que os planos anunciados por Obama em seu discurso irão piorar a situação.

"Espero que o presidente abandone sua obsessão por aumentar os impostos e trabalhe conosco para conseguir este tipo de crescimento real em nossa economia", disse Rubio, 41, de família cubana.

"Se pudéssemos fazer com que a economia crescesse 4% ao ano, seriam criados milhões de empregos para a classe média. Não há nenhum aumento de impostos que possa conseguir isso", afirmou.

"Senhor presidente, não me oponho a seus planos porque quero proteger os ricos. Eu me oponho a seus planos porque quero proteger meus vizinhos", disse o senador, que falou sobre sua vida como filho de imigrantes.

"Senhor presidente, ainda vivo na mesma vizinhança de classe trabalhadora onde cresci. Meus vizinhos não são milionários. São aposentados, trabalhadores que têm que levantar cedo, são imigrantes que vieram para cá porque estavam permanentemente afundados na pobreza", comentou.

O conservador Rubio, eleito para o Congresso em 2010, faz parte de um grupo bipartidário de oito senadores que traçaram, recentemente, princípios para se alcançar uma reforma migratória nos Estados Unidos, uma das prioridades de Obama.

"Precisamos de uma solução responsável e permanente para o problema dos que estão aqui ilegalmente. Mas primeiramente, temos que cumprir as promessas do passado, reforçar nossas fronteiras e aplicar nossas leis", advertiu Rubio.

Um sistema migratório reformado pode "ajudar a fazer com que nossa economia cresça", ao "atrair os melhores e mais brilhantes profissionais do mundo e integrá-los à nossa forma de vida", acrescentou.

AFP