Estados Unidos

publicidade
22 de janeiro de 2013 • 22h06 • atualizado às 22h08

Protestos marcam os 40 anos de decisão que permitiu aborto nos EUA

Ativista participa de uma vigília em frente à Suprema Corte dos EUA, em Washington
Foto: AP
 

Protestos favoráveis e contrários marcaram nesta terça-feira o 40º aniversário da polêmica decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos conhecida como Rose versus Wade, que declarou o aborto como um direito constitucional. Em 73, a máxima instância da Justiça do país permitiu que uma vítima de estupro – Jane Roe – decidisse se queria interromper a gravidez. Dezenas de manifestantes enfrentaram o frio e espalharam 3.300 flores na calçada do prédio da corte, na capital americana, representando o número de abortos que ocorrem diariamente no país. As informações são da agência Reuters.

Fora de Washington, ativistas pró-aborto se reuniram em frente a uma clínica no Mississippi para mostrar que, após a decisão histórica do dia 22 de janeiro de 1973, a luta pelos direitos das mulheres obteve importantes conquistas. “Poder escolher é bom”, disse uma estudante de 18 anos.

“Ninguém tem o direito de dizer a outra pessoa o que ela deve fazer com o seu corpo”, afirmou Roy McMillen, 69 anos, ativista contra o aborto. As manifestações acontecem na mesma semana na qual uma pesquisa revelou que a opinião dos americanos continua a mesma e que a maioria ainda apoia a decisão de 1973.

 

Terra Terra