0

Nobel da Paz a Obama gera satisfação, mas também surpresa

9 out 2009
09h18
atualizado às 12h08

Os Estados Unidos reagiram nesta sexta com satisfação, mas principalmente com surpresa, diante da inesperada concessão do Prêmio Nobel da Paz ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, bombardeado pelos correspondentes que buscavam uma reação desde a madrugada, reagiu com um breve "uau!". Quase duas horas após saber da notícia, em Oslo, a Casa Branca continuava sem divulgar nenhuma reação oficial.

O prolongado silêncio, sobre o qual repercutiram as televisões dos EUA em seus programas da manhã, chamou a atenção e deu espaço a conjeturas.

Alguns dos membros do exclusivo corpo de imprensa da Casa Branca tinham uma explicação tão mordaz quanto divertida: "é que não pode ser pior. Uma surpresa deste calibre e, além disso, às cinco da manhã. Não reagem a essa hora, são aves noturnas", disse à agênia EFE uma correspondente perante a Casa Branca.

Surpresa nas ruas
Na rua, a surpresa também era evidente. Genn, uma afro-americana que, antes de amanhecer, esperava o primeiro ônibus da manhã no centro de Washington, nas imediações da Casa Branca, pareceu não acreditar quando soube: "o que? O que me diz? O Prêmio Nobel? Para Obama?", perguntava.

Mas logo a incredulidade deu lugar à alegria, e Genn disse à EFE que "isso é fantástico. Ele faz história onde quer que vai. Vai mudar as coisas, e as pessoas percebem, é fantástico".

"Seria maravilhoso se eu entendesse por que ele ganhou", disse à Reuters Claire Sprague, 82 anos, uma professora de inglês aposentada residente em Manhattan. "Eles queriam lhe dar uma honraria, imagino, mas não imagino por que razão."

Itya Silverio, 33 anos e moradora do Brooklyn, também em Nova York, ficou igualmente surpresa. "Minha primeira reação é que ele ganhou por ser negro", disse ela. "O que ele fez de tão sensacional? Ele ainda nem terminou o mandato."

O ex-presidente norte-americano Jimmy Carter, agraciado com o prêmio em 2002, disse que a vitória de Obama mostrou a esperança que ele despertou em todo o mundo.

"É uma manifestação ousada de apoio internacional para sua visão e seu comprimetimento com a paz e a harmonia nas relações internacionais", disse Carter em um comunicado.

Quando soube da premiação a Obama, o funcionário público aposentado Robert Schultz, 62 anos, indagou: "Por ter feito o quê?"

"O cara não resolveu nenhum conflito em lugar nenhum, então como pode ganhar o prêmio da paz? Se não o reelgermos, vamos parecer uns idiotas porque o mundo o incensou", disse Schultz, que vive em Dallas.

Algumas pessoas disseram que a escolha pode arranhar a credibilidade do comitê e do prêmio Nobel.

Com as agências EFE e Reuters

EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade