2 eventos ao vivo

Miami investiga segunda morte após cirurgia para aumentar o bumbum

Mulher morreu durante cirurgia conhecida "brazilian butt lift"

16 jul 2013
13h49
atualizado às 14h15
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma mulher de origem hispânica morreu após se submeter a um tratamento de aumento de glúteos em uma clínica de cirurgia estética de Miami (EUA), configurando o segundo caso deste tipo em 2013 na cidade, o que fez com que as autoridades abrissem uma investigação, informou nesta terça-feira uma fonte oficial.

"A mulher morreu na última semana depois de ter feito um tratamento na clínica, e os detetives da divisão de homicídios estão investigando os fatos", afirmou à agência EFE Álvaro Zabaleta, porta-voz da polícia do condado de Miami-Dade.

A mulher se submeteu a um tratamento de duas horas denominado "brazilian butt lift", que consiste na liposucção de gordura de uma parte do corpo da paciente para injetá-la nos glúteos e aumentar seu tamanho, segundo o jornal El Nuevo Herald.

O médico que fez a operação, Anthony Hassan, explicou à publicação que a cirurgia transcorreu normalmente, mas que a paciente alegou que se sentia indisposta quando foi para a sala de recuperação.

Transferida a um hospital de Miami (Flórida), a mulher morreu poucas horas depois, vítima de uma embolia pulmonar provavelmente causada por restos de gordura que passaram para a corrente sanguínea ou pela formação de um coágulo de sangue em uma perna da paciente.

Este é o segundo caso de morte em função do tratamento de cirurgia cosmética em Miami neste ano, apesar de, desta vez, o centro de saúde contar com todas as permissões para realizar este tipo de operação.

Em abril, outra mulher de origem hispânica de 28 anos também morreu após se submeter ao tratamento de aumento de glúteos em uma clínica particular de Miami que, segundo as autoridades, tinha permissão para funcionar apenas como centro de beleza e massagens.

A jovem se sentiu indisposta após o fim da cirurgia e foi transferida para o hospital, onde morreu, aparentemente, de embolia pulmonar ou insuficiência respiratória.

As autoridades abriram uma investigação e procuram pelo suposto médico - de origem venezuelana e cuja identidade não foi revelada - responsável pela cirurgia que supostamente causou a morte da paciente.

Este não se trata de um caso isolado. Em novembro de 2011, a polícia de Miami deteve uma pessoa que injetou cimento, cola, azeite e outras substâncias nas nádegas de uma mulher.

O incidente começou em maio de 2010, quando a vítima pagou US$ 700 pela operação estética, mas adoeceu pouco depois e seus quadris ficaram seriamente deformados.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade