PUBLICIDADE

Manifestantes contra uso de drones americanos interrompem sessão no Senado

7 fev 2013 19h34
| atualizado às 19h37
Publicidade

Manifestantes denunciando os ataques de aviões não tripulados (os chamados drones) interromperam a uma audiência no Senado americano, nesta quinta-feira, sobre a nomeação para o próximo diretor da CIA, forçando a polícia a escoltar os manifestantes para fora da sala.

"Ergam-se contra os drones", gritava um manifestante, enquanto John Brennan, indicado pelo presidente Barack Obama para dirigir a agência de inteligência americana, era interrompido inúmeras vezes ao tentar pronunciar seu discurso de abertura para a Comissão de Inteligência do Senado.

Após cinco momentos em que os manifestantes insistiram em perturbar a audiência, a presidente do painel, Dianne Feinstein, ordenou que a polícia retirasse os manifestantes da salão e impedisse o retorno dos ativistas do grupo pacifista "Code Pink".

Brennan é amplamente visto como o arquiteto da campanha para o uso em grande escala dos drones na guerra contra a Al-Qaeda, tema que Obama e seus assessores se recusam a discutir abertamente.

Um ativista exibia uma faixa com os dizeres "Brennan = massacres com drones". Um outro gritava ao senador Feinstein: "Seus filhos são mais importantes que os filhos de paquistaneses?".

Os casos de "ataques cirúrgicos" contra militantes suspeitos da Al-Qaeda no Paquistão, no Iêmen, na Somália e em outros países foram condenados por grupos de defesa dos direitos humanos por empreenderem uma guerra clandestina e ilegal.

Porém, muitos legisladores apoiam a campanha como uma medida efetiva para neutralizar extremistas da Al-Qaeda sem o envio de tropas em grandes operações militares.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade