publicidade
07 de abril de 2013 • 14h55

Lei de imigração dos EUA deve ser concluída esta semana

Senador dos EUA Chuck Schumer fala durante coletiva de imprensa após visita à fronteira do Arizona com o México em Nogales, EUA. Um projeto de lei para revisar o sistema de imigração norte-americano deve ser concluído no final desta semana, afirmaram neste domingo dois senadores dos Estados Unidos. 27/03/2013
Foto: Samantha Sais / Reuters
 

Um projeto de lei para revisar o sistema de imigração norte-americano deve ser concluído no final desta semana, afirmaram neste domingo dois senadores dos Estados Unidos.

O senador democrata de Nova York Charles Schumer disse que os senadores do bipartidário "Grupo dos Oito" resolveram as principais questões pendentes e que suas equipes estão colocando o projeto numa linguagem legislativa.

"Todos nós dissemos que não haverá acordo até que todos os oito concordem com um projeto grande e específico, mas espero que tenhamos isso pronto até o final da semana", disse ele ao programa "Face the Nation" da rede de televisão norte-americana CBS.

"Houve confusões no caminho, mas cada uma delas foi resolvida", disse Schumer, um membro do grupo, que tem quatro democratas e quatro republicanos.

Os oito membros precisam revisar a linguagem legislativa, disse ele.

A Câmara do Comércio dos Estados Unidos, o maior grupo empresarial norte-americano, e a AFL-CIO, a maior federação trabalhista, chegaram a um acordo elusivo sobre um programa de trabalhadores temporários no final do mês passado, abrindo caminho para a composição total do projeto de lei.

A legislação irá incluir um caminho para conseguir a cidadania norte-americana para estimados 11 milhões de imigrantes ilegais, aumentando a segurança das fronteiras e as formas para empresas atingirem a necessidade de trabalhadores altamente especializados e também com pouca especialização.

(Por Philip Barbara)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.