0

Japão pede ajuda ao EUA por causa de crise nuclear

14 mar 2011
14h27
atualizado às 14h52

O Japão pediu formalmente aos Estados Unidos ajuda para controlar suas usinas nucleares, que foram sofreram com a violência do terremoto seguido de tsunami, informou a Comissão Reguladora Nuclear americana (NRC).

"O governo japonês pediu oficialmente ajuda aos Estados Unidos", indicou a NRC. "A NRC estuda a resposta que dará a este pedido e que compreende o aconselhamento técnico", acrescentou.

Antes, o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, anunciu que o Japão pediu oficialmente a esse organismo da ONU que envie uma equipe de especialistas para ajudar na atual crise nuclear.

"Hoje, o governo do Japão pediu à agência que enviemos missões de especialistas. Estamos discutindo os detalhes com o Japão", afirmou Amano aos representantes dos Estados membros durante uma reunião de informação técnica a portas fechadas na sede da AIEA em Viena.

A AIEA fez uma oferta formal ao governo japonês imediatamente depois do terremoto e tsunami de sexta-feira passada, que provocaram graves danos à usina nuclear de Fukushima 1, 250 km a nordeste de Tóquio.

Terremoto e tsunami devastam Japão
Na sexta-feira, 11, o Japão foi devastado por um terremoto que, segundo o USGS, atingiu os 8,9 graus da escala Richter, gerando um tsunami que arrasou a costa nordeste nipônica. Fora os danos imediatos, o perigo atômico permanece o maior desafio. Diversos reatores foram afetados, e a situação é crítica em Fukushima, onde existe o temor de um desastre nuclear.

Juntos, o terremoto e o tsunami já deixaram mais de 1.800 mortos, e os prejuízos já passam dos US$ 170 bilhões. Em meio a constantes réplicas do terremoto, o Japão trabalha para garantir a segurança dos sobreviventes e, aos poucos, iniciar a reconstrução das áreas devastadas.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade