publicidade
01 de agosto de 2013 • 17h01 • atualizado às 17h07

Família recebe visita de oficiais após buscar panela de pressão no Google

Visita de agentes antiterrorismo dos EUA foi dias após membros da família usarem a internet para pesquisar por panelas e mochilas

 

Uma norte-americana recebeu a visita de agentes secretos dos Estados Unidos dias após pesquisar por panelas de pressão e mochilas no Google. Michele Catalano narra a história em artigo publicado pelo site Medium.com. “Seis agentes da força-tarefa contra o terrorismo bateram na minha porta”, afirma.

Ela justifica que tinha usado o famoso buscador para ver o preço de panelas de pressão. “Meu marido estava à procura de uma mochila. Talvez, em outros tempos, essas duas coisas juntas pareceriam inofensivas, mas estamos ‘nestes tempos’”, diz.

Michele tem um filho de 20 anos que, segundo ela, é viciado em internet e leu sobre a fabricação de bombas caseiras como as usadas no atentado de Boston, feitas com panelas de pressão.

Ela conta, no artigo, que não estava em casa no momento da visita. Foi seu marido que viu os três carros com os vidros escuros estacionarem na frente da casa de forma a bloquear a saída da garagem. Seis agentes desceram e se espalharam pelo quintal, enquanto dois deles bateram na porta.

“Os hábitos de leitura do meu filho, combinados com a minha busca por uma panela de pressão e a busca do meu marido para uma mochila dispararam um alarme na sede da força-tarefa conjunta contra o terrorismo”, escreve.

De acordo com o relato da americana, os agentes pediram para vistoriar a casa. Caminharam ao redor da sala, verificaram os livros na prateleira, as fotos e os quartos. “Eles perguntaram se poderiam ir ao quarto do meu filho, mas meu marido disse que ele estava dormindo. Assim, eles desistiram”, afirma.

A visita durou 45 minutos. “Eles pediram ao meu marido para falar sobre seu trabalho, suas visitas à Coreia do Sul e China. O tom era de conversação”, relata. “Eles nunca pediram para ver os computadores nos quais foram feitas as buscas. Eles não abriram nenhuma gaveta ou um armário. Deixaram dois quartos fechados.”

De acordo com a americana, os agentes disseram que fazem isso cerca de 100 vezes por semana e que em 99% das vezes, não encontraram terroristas.

Ainda assustada, Michele encerra o artigo reproduzido pelo The Guardian: “tudo o que sei é que, se for comprar uma panela de pressão em um futuro próximo, não vou fazer isso online. Estou com medo. E não das coisas certas.”

Terra