0

Explosões na Maratona de Boston deixam três mortos e dezenas de feridos

Até o início da noite, nenhuma informação sobre eventuais suspeitos ou causas da explosão havia sido informada pelas autoridades americanas

15 abr 2013
16h13
atualizado em 4/12/2013 às 15h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Pelo menos três pessoas morreram e dezenas ficaram feridas na tarde desta segunda-feira em duas explosões perto da linha de chegada da Maratona de Boston, grande e tradicional evento da capital do Estado americano do Massachusetts. Até o início da noite não havia informação oficial sobre o número e o estado de saúde dos feridos, e as autoridades tampouco divulgaram informações sobre eventuais suspeitos de envolvimento no caso. Balanços extraoficiais da mídia americana indicavam cerca de 130 feridos, dos quais pelo menos 10 em estado crítico.

A primeira explosão ocorreu por volta das 14h45 (horário local), perto do Hotel Fairmount Copley Plaza, um dos pontos mais famosos da prova. Menos de 10 segundos depois, ocorreu a segunda, erguendo esparsas nuvens cinzas sobre o local e dispersando uma atmosfera de pânico e medo. As explosões teriam ocorrido duas horas depois de os primeiros colocados da maratona cruzarem a linha de chegada. Uma imensa multidão acompanhava a chegada da prova, na qual havia cerca de 27 mil inscritos.

"Foi uma coisa absurda, muito estresse, um terror total, ainda mais em um evento grande como esse, em um feriado", relatou o paulistano Marcelo Moraes. "Meu hotel fica a uns três quarteirões do local da explosão, foi um barulho bem forte, logo na linha de chegada, onde as pessoas estavam chegando, posando para fotos", comentou.

Imagens registradas após as explosões mostravam fumaça na rua, comércios destruídos ao redor e muita correria de pessoas e policiais. Cadeiras de roda e macas foram utilizadas para levar os feridos aos hospitais mais próximos. Os metrôs próximos ao local foram fechados. 

“No começo ninguém entendeu o que estava acontecendo e ficaram desesperados”, afirmou o brasileiro Marcos Paulo Reis, que treina equipes de corrida de rua. “Primeiro falaram que havia sido dentro do hotel e havia polícia por todos os lados”, completou.

O caos das ruas diminuía com o trabalho das equipes da polícia e dos bombeiros, mas, até o final do dia, a situação permanecia rodeada de incertezas. Em uma primeira entrevista coletiva concedida, o comissário da Polícia de Boston, Edward Davis, citou um "terceiro incidente" na Biblioteca JFK. Inicialmente acreditava-se se tratar de uma explosão com possível relação com o incidente da maratona, mas Davis posteriormente revisou o dado, dizendo se tratar de um incêndio cuja relação com a maratona havia sido prematuramente sugerida.

<p>Duas explosões aconteceram perto da linha de chegada</p>
Duas explosões aconteceram perto da linha de chegada
Foto: CBS / Reprodução

As explosões levaram outras cidades dos Estados Unidos a entrar em estado de alerta. A polícia de Nova York também enviou efetivos para os principais monumentos e pontos turísticos, e uma operação similar foi realizada em Washington.

"Recomendamos às pessoas que fiquem em casa e que não vão a lugares onde há multidões. Precisamos estabilizar a situação", afirmou o comissário da Polícia de Boston.

O presidente dos Estados Unidios, Barack Obama, entrou em contato com as autoridades de Boston e do Massachusetts para oferecer apoio logístico federal. Mais tarde, falando da Casa Branca em pronunciamento à nação, Obama concedeu ainda haver perguntas sem respostas sobre o incidente, mas prometeu que os responsáveis serão encontrados e julgados. "Nós vamos esclarecer isso. E nós vamos descobrir quem fez isso. Nós vamos descobrir por que fizeram isso. Os indivíduos responsáveis, os grupos responsáveis sentirão o pleno peso da Justiça", prometeu.

No final do dia, o FBI informava que assumia a liderança das investigações, que passavam a tratar o caso como um potencial ato de terrorismo.

Estavam inscritos 131 brasileiros para disputar a maratona nesta segunda. O jovem etíope Lelisa Desisa foi o vencedor da corrida masculina, com o tempo de 2h10min23s. Entre as mulheres quem venceu foi a experiente queniana Rita Jeptoo, em 2h26min25s. 

“Estou machucada e vim (para Boston) porque já tinha pago tudo. Se eu tivesse diminuído um pouco o ritmo a bomba tinha me pego. Me corta o coração saber que terminei a prova e que pessoas perderam o pé”, afirmou a maratonista brasileira Valdenise Souza. O medalhista e recordista Usain Bolt também comentou a tragédia.

"A gente não imagina que possa acontecer uma coisa dessas, porque era uma festa, um clima de confraternização", lamentou o atleta brasileiro Marcos Bigon Giari, que participou da Maratona de Boston.

Infográfico - bomba na Maratona de Boston
Infográfico - bomba na Maratona de Boston
Foto: Reuters

Veja também:

Filha interrompe entrevista por vídeochamada e vira sensação nas redes
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade