PUBLICIDADE

Estados Unidos

EUA vão comprar prisão estadual para substituir Guantánamo

15 dez 2009 - 02h45
(atualizado às 07h33)
Compartilhar

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, orientou ao governo federal dos EUA a compra da prisão estadual de Thomson, no Illinois, esvaziada recentemente, para abrigar os detidos em Guantánamo, cadeia que abriga suspeitos de terrorismo.

A prisão de Thomson é considerada uma das mais seguras dos EUA
A prisão de Thomson é considerada uma das mais seguras dos EUA
Foto: AP

De acordo com a Associated Press, o anúncio oficial será feito nesta terça-feira na Casa Branca, pelo senador Richard Durbin e pelo governador Pat Quinn, ambos de Illinois. A cidade de Thomson, em Illinois, fica próxima do Rio Mississippi. Segundo um assessor de Durbin, que pediu para não ser identificado, a prisão abrigará detentos sob responsabilidade federal e até 100 presos que estão em Guantánamo.

A prisão de Thomson foi construída em 2001 pelo Estado de Illinois como uma prisão de segurança máxima. Autoridades locais acreditavam que a sua instalação poderia potencializar a economia local, promovendo empregos, mas problemas de orçamento fizeram com que a prisão, que tem 1,6 mil celas, nunca tivesse sua capacidade máxima utilizada. Atualmente, 200 presos estão no local.

Segundo a AP, embora haja resistência em abrigar suspeitos de terrorismo em território norte-americano, na cidade de Thomson a ideia foi bem recebida, pois pode movimentar a economia local.

O anúncio oficial é antecedido de semanas de estudo, que consideraram a prisão de Thomson a mais segura para o sistema federal de prisões. A decisão é parte de um complicado plano de desinstalação da controversa prisão de Guantánamo, onde foram denunciados abusos durante a administração anterior.

Obama ordenou o fechamento de Guantánamo como um dos seus primeiros atos de inauguração, no último janeiro. O fechamento, entretanto, encontrava alguns obstáculos, principalmente a dificuldade de encontrar outros lugares para colocar os suspeitos de terrorismo.

O plano é enviar alguns dos detentos para seus países natais e outros para outros países, que farão programas de reabilitação para suspeitos de terrorismo. A prisão de Thomson poderia abrigar de 35 a 90 detidos em Guantánamo, segundo uma fonte que participou das negociações.

"Fechar o centro de detenção de Guantánamo é essencial para proteger a segurança nacional e ajudar as tropas, removendo uma mortal ferramenta de recrutamento das mãos da Al Qaeda", disse um oficial da administração. "O anúncio nesta terça será um importante passo à frente para os nossos objetivos", completou.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra