0

EUA: tiroteio em escola primária deixa 27 mortos

14 dez 2012
14h04
atualizado às 23h24
  • separator
  • comentários

Um homem abriu fogo na escola primária de Sandy Hook, na cidade de Newtown, no Estado de Connecticut (leste americano), na manhã desta sexta-feira, deixando pelo menos 27 mortos. Ainda não há informações oficiais sobre a identidade do responsável e das vítimas, mas, segundo informações extraoficiais, a mais nova tragédia envolvendo a delicada e polêmica questão do porte de armas nos Estados Unidos é densamente entremeada por questões familiares.

Crianças se assustam com o tiroteio na escola primária Sandy Hook, em Newtown, no Estado de Connecticut
Crianças se assustam com o tiroteio na escola primária Sandy Hook, em Newtown, no Estado de Connecticut
Foto: Reuters

Saiba mais
Tiroteio em escola nos EUA deixa 27 mortos
Veja fotos do massacre na escola primária
Obama se emociona ao falar de vítimas; assista
Lembre os tiroteios nos EUA nos últimos 20 anos

Segundo relatou Paul Vance, tenente da Polícia Estadual de Connecticut, a chamada de emergência informando sobre a situação na escola foi efetuada às 9h30 locais (12h30 de Brasília). Os policiais chegaram ao local e procederam com a inspeção de todas as salas da instituição antes de evacuar todas as pessoas da cena, conduzidas a um abrigo onde foram recebidas por parentes.

As vítimas estavam em duas salas. Vance informou que o atirador foi encontrado morto pela polícia, mas recusou-se, por questões de segurança, a liberar informações sobre ele ou sobre as vítimas. Inicialmente não se sabia se a polícia havia atirado contra o suspeito. Mais tarde, Vance afirmou que a pronta ação da polícia na chegada à escola "certamente" preveniu que mais mortes ocorressem.

À parte dos pronunciamentos das autoridades locais, relatos obtidos extraoficialmente constroem uma tragédia pública perpassada por questões familiares. O atirador seria um homem de 20 anos, e entre as vítimas fatais estaria sua mãe, professora em Sandy Hook.

Em acréscimo à cena em Newtown, uma pessoa foi encontrada morta no fim da manhã de hoje em uma residência de New Jersey; o corpo, segundo as primeiras versões, seria do pai do atirador. Além disso, um segundo homem suspeito de envolvimento foi detido; tratar-se-ia de um irmão do atirador.

As informações sobre as identidades do atirador e das vítimas são controversas. Inicialmente, havia sido informado que se tratava de Ryan Lanza, um morador local, de 24 anos. No momento, trabalha-se com a versão de que o atirador se chama Adam Lanza; ele teria 20 anos, enquanto que Ryan, primeiramente identificado como o atirador, seria seu irmão mais velho mantido sob custódia da polícia. Também não há confirmação oficial do envolvimento e da morte de seus pais.

O tenente da polícia de Connecticut confirmou a existência do uma "segunda cena", em referência ao homem encontrado morto, mas negou-se a liberar mais informações. Se confirmada a ligação entre os dois episódios, este homem configuraria a 28ª vítima da tragédia de Newtown.

Segundo noticiou a Reuters, a escola Sandy Hook tem alunos do jardim de infância até a quarta série, com idades que variam de 5 a 10 anos. Durante o dia, um jornal local noticiou que todos os alunos de uma série estavam desaparecidos. Mais tarde, o tenente confirmou que todos estavam a salvo. "Não há estudantes desaparecidos. Investigamos todos os estudantes da escola, inclusive aqueles que não vieram no dia."

O presidente norte-americano, Barack Obama, conversou com o diretor da polícia federal (FBI), Robert Mueller, e o governador de Connecticut, Dan Malloy, para saber mais sobre o tiroteio e "expressar suas condolências e preocupação" com as vítimas e suas famílias, afirmou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Mais tarde, em pronunciamento na Casa Branca, Obama mostrou-se emocionado ao lamentar o ocorrido em Newtonwn e reafirmou a necessidade de ação contra o comércio legal de armas "independentemente da polícia". Os Estados Unidos somam uma série de tiroteios em locais públicos em 2012; o pior ataque ocorreu em julho em uma sessão da meia-noite do terceiro espisódio da franquia de Batman, no Colorado, que matou 12 pessoas.

"É muito cedo para falarmos em recuperação", disse o governador de Connecticut, Dan Malloy, em rápido pronunciamento feito ao cair da noite em Newtown. "O mal visitou nossa comunidade hoje".

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade