0

EUA prometem ajuda ao Japão após terremoto devastador

11 mar 2011
16h47
atualizado às 18h57

O presidente americano, Barack Obama, afirmou nesta sexta-feira que os Estados Unidos estão dispostos a enviar toda a ajuda necessária ao Japão após o "devastador" e "potencialmente catastrófico" terremoto de magnitude 8,8 na escala Richter, segundo dados do Serviço Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês).

Em entrevista coletiva na Casa Branca, convocada originalmente para tratar sobre os preços do petróleo, Obama disse que o tsunami causado pelo terremoto, que já chegou ao litoral ocidental dos EUA, não causou danos até o momento, mas se supervisiona "muito de perto" a situação.

Ele pediu assim aos cidadãos americanos residentes nas zonas afetadas que obedeçam a possíveis ordens de evacuação ou afastamento e indicou que as agências envolvidas neste tipo de desastres coordenam muito estreitamente as ações de resposta aos danos.

Obama disse que já conversou com o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, para oferecer-lhe a assistência e as condolências dos Estados Unidos.

Segundo o presidente, um porta-aviões americano se dirige ao Japão e outro já se encontra em águas japonesas. Outra embarcação se dirige às ilhas Marianas para prestar assistência se necessário.

"Nossos corações estão com nossos amigos no Japão e em toda a região, e estamos dispostos a apoiá-los em sua recuperação e reconstrução após esta tragédia", insistiu o presidente americano.

Obama destacou ainda que os "laços próximos" que os EUA têm com o Japão e a cultura japonesa "tornam nossa preocupação muito mais aguda".

O presidente americano, que visitou o Japão quando criança e que cresceu no Havaí, onde teve estreito contato com a cultura japonesa, se declarou "chocado" com a tragédia e disse que eventos como esse "nos lembram que, apesar das diferenças culturais e de idiomas, no fina das contas todos pertencemos ao mesmo mundo".

Ele se mostrou otimista sobre a recuperação do país asiático. "(O Japão tem tantos recursos, é uma economia tão avançada, que irá se recuperar e reconstruir com sucesso", ressaltou Obama, que conversou por telefone com o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, para oferecer a colaboração do Governo americano para o que for necessário.

O Governo do Japão indicou que o número de vítimas é "extremamente alto", 137 segundo a última apuração oficial, e pediu à população que esteja preparada para novas réplicas do tremor.

Já segundo as autoridades provinciais japonesas anunciam entre 200 e 300 mortos na cidade de Sendai.

Os EUA emitiram um alerta de viagem em que recomenda a seus cidadãos que, se possível, não viajem ao Japão.

EFE   
publicidade