Estados Unidos

publicidade
03 de dezembro de 2012 • 17h00 • atualizado às 17h21

EUA pedem que Israel reconsidere decisão sobre colônias

Pedreiros trabalham na construção do assentamento E-1, perto de Maaleh Adumimn, na Cisjordânia (foto de outubro de 2007)
Foto: AP
 

Os Estados Unidos pediram nesta segunda-feira que Israel "reconsidere" sua decisão de autorizar a construção de mais 3 mil residências para colonos judeus em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia ocupada.

"Pedimos aos líderes israelenses que reconsiderem essas decisões unilaterais e mostrem cautela, já que essas atitudes são contraproducentes e tornam mais difícil retomar negociações diretas" com os palestinos, disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney. Mais cedo, o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, havia advertido que a decisão de Israel seria "especialmente prejudicial" para os esforços em favor de uma solução do conflito com os palestinos que leve à criação de dois Estados.

A reação de Washington ocorre em meio às crescentes críticas feitas ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, por permitir a construção de 3 mil novas casas em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia.

"Os Estados Unidos se opõem a qualquer ação unilateral, incluindo a atividade de assentamentos na Cisjordânia e a construção de casas em Jerusalém Oriental, já que complicam os esforços para retomar negociações bilaterais diretas, e podem prejudicar o resultado destas negociações", disse Toner. "Isto inclui construir na zona E1, pois esta área é particularmente sensível e construir lá seria especialmente prejudicial para os esforços por uma solução de dois Estados", acrescentou.

A zona E1 é um corredor a leste de Jerusalém que gera grande polêmica porque a construção de colônias israelenses nessa região dividiria a Cisjordânia em duas.

AFP AFP - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização.