Estados Unidos

publicidade
13 de fevereiro de 2013 • 04h50 • atualizado às 08h37

EUA: ex-agente policial é morto após cerco e dias de perseguição

O comandante da polícia de Los Angeles, Andrew Smith (esq.), expressa suas condolências pela morte de um policial durante entrevista sobre o fim da caçada
Foto: AP
 

A história do ex-policial Christopher Dorner terminou nesta terça-feira de forma dramática após uma jornada de perseguições e tiroteios na zona montanhosa de Big Bear, na Califórnia, onde ele foi encurralado pelas forças da ordem e acabou abatido, informou a emissora CBS.

As autoridades ainda não confirmaram oficialmente a morte de Dorner, apesar de fontes da emissora indicarem que o corpo de um indivíduo que encaixa com a descrição do fugitivo foi retirado dos escombros da cabana na qual ele se refugiara.

A polícia se limitou a indicar que é "altamente provável" que se trate de Dorner, que era procurado deste a última quinta-feira.

Dorner era o principal suspeito do assassinato de um casal no início de fevereiro e da morte de dois policiais, o último um ajudante do xerife do condado de San Bernardino nesta terça-feira.

Outros dois agentes se encontram hospitalizados após trocar disparos com Dorner, oficial da polícia de Los Angeles entre 2005 e 2008, até que foi despedido por fazer falsas acusações contra um companheiro. Previamente, Dorner havia ameaçado usar "armamento incomum" contra diversos policiais em um manifesto publicado em seu perfil no Facebook.

Imagem sem data exibe Christopher Dorner
Foto: AP

Inicialmente, o ex-agente matou a filha do capitão da Polícia Randy Quan - um agente envolvido em sua demissão por perjúrio - e o noivo dela. No dia seguinte, atingiu o veículo de dois agentes que estavam parados em um sinal vermelho. Um dos policiais faleceu e o outro ficou ferido.

Depois disso, Dorner fugiu para as montanhas, o que deu início a um dispositivo coordenado entre vários departamentos da polícia e foi oferecida uma recompensa de US$ 1 milhão a quem desse informações sobre o seu paradeiro.

O círculo foi se fechando pouco a pouco até que nesta terça-feira os policiais e o suspeito se enfrentaram a tiros na zona de Big Bear. Durante o tiroteio, um ajudante do xerife morreu e outro ficou ferido. Depois disso, o sujeito se fechou em uma cabana na região de Angelus Oaks.

As autoridades enviaram uma equipe especial para desmontar o imóvel por partes ao tempo que tentavam fazê-lo sair lançando gás lacrimogêneo.

Por fim, segundo alguns testemunhos, foi possível ouvir um solitário disparo e pouco depois a cabana começou a pegar fogo.

Agora terá início a tarefa de confirmar se o corpo encontrado no local é mesmo de Christopher Dorner, o que pode levar horas ou até mesmo vários dias.

EFE EFE - Agencia EFE - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia EFE S/A.