PUBLICIDADE

EUA e Venezuela anunciam retomada do diálogo

5 jun 2013 17h16
| atualizado às 20h09
ver comentários
Publicidade
John Kerry e o chanceler da Venezuela, Elías Jaua
John Kerry e o chanceler da Venezuela, Elías Jaua
Foto: AP

O secretário de Estado americano, John Kerry, anunciou nesta quarta-feira que Estados Unidos e Venezuela reabrirão o diálogo "no mais alto nível" diplomático para tentar restabelecer seus respectivos embaixadores, após reunião com o chanceler Elías Jaua. "Senti que foi um encontro muito, muito positivo", declarou Kerry, em uma entrevista coletiva realizada depois da reunião bilateral de cerca de 40 minutos com o ministro da Venezuela.

A reunião aconteceu em paralelo à Assembleia Geral da OEA em Antigua, Guatemala. "Acertamos que haverá um diálogo contínuo para tentar estabelecer uma agenda, começar a mudar o diálogo entre os nossos dois países" e mostrar para a América Latina que os Estados Unidos e a Venezuela estão resolvendo suas diferenças, completou Kerry.

"Concordamos, Venezuela e Estados Unidos, que gostaríamos de encontrar, para os nossos países, um caminho para seguir adiante, estabelecer uma relação mais positiva", acrescentou.

O secretário agradeceu a Jaua e ao presidente Nicolás Maduro por terem tomado a iniciativa de pedir o encontro e de terem libertado o cineasta americano Timothy Hallet Tracy, que filmava na Venezuela e foi detido por acusação de espionagem. "Começamos o processo de criar uma agenda específica", destacou.

Jaua revelou à rede de TV Telesul que disse a Kerry que o governo de Nicolás Maduro tem "a melhor vontade" de melhorar as relações bilaterais, mas que isto depende de muitos fatores. Resolver as divergências passa por respeitar o modelo socialista da Venezuela e evitar que sejam "reconhecidos ou estimulados" grupos antidemocráticos que empreendem "uma campanha de desestabilização das instituições venezuelanas", afirmou o chanceler.

"Em todo caso, temos fé e confiança de que esta reunião marcará o início de uma relação de respeito entre os governos do presidente Nicolás Maduro e Barack Obama, o que é conveniente aos dois povos e uma garantia de estabilidade", disse.

Caracas e Washington retiraram seus respectivos embaixadores em 2010, após várias desavenças diplomáticas. A Venezuela é o principal obstáculo diplomático para os Estados Unidos na América Latina desde a presidência do finado Hugo Chávez, mas também é o quarto maior fornecedor de petróleo dos EUA.

O governo venezuelano é criticado nos relatórios sobre tráfico de drogas e liberdade de expressão que o departamento americano de Estado publica anualmente, o que provoca reações iradas de Caracas.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade
Publicidade