0

EUA criam conta no Twitter para enviar mensagens em farsi ao Irã

14 fev 2011
21h20
atualizado às 22h31
  • separator

O Departamento de Estado dos Estados Unidos começou nesta segunda-feira a enviar mensagens em farsi aos iranianos através de uma nova conta na rede social Twitter, enquanto o Teerã e outras cidades do país vivem em protestos contra o governo. A nova conta, chamada @USAdarFarsi, se une a outros canais americanos de comunicação com o povo iraniano, como as emissões em farsi do canal Voice of America, tachadas pelo regime de Mahmoud Ahmadinejad de manipuladoras.

14 de fevereiro - Fotografia tirada por um manifestante e obtida pela agência AP mostra um grupo opositor enfrentando policiais nas ruas de Teerã
14 de fevereiro - Fotografia tirada por um manifestante e obtida pela agência AP mostra um grupo opositor enfrentando policiais nas ruas de Teerã
Foto: AP

"O Departamento de Estado dos Estados Unidos reconhece o papel histórico das redes sociais entre os iranianos. Queremos nos unir a vocês em nossas conversas", diz o primeiro tweet. Com o rótulo #25Bahman, as mensagens mencionam os protestos convocados pela oposição nesta segunda-feira, o 25º dia do mês Bahman - o 11º do calendário persa -, em plena ressaca do triunfo da revolução egípcia.

A agência federal criticou o anúncio do governo que não daria permissão aos organizadores dos protestos na capital, ao considerá-lo uma prova "que as mesmas atividades que louvava dos egípcios as vê ilegais e ilegítimas quando se trata de sua gente". Apesar do ferrenho desdobramento policial, as manifestações ocorreram nesta segunda-feira em várias cidades do país registrando numerosas detenções, uma morte e vários feridos, segundo informou a agência de notícias local Fars.

Os impedimentos à cobertura livre dos protestos na imprensa local e internacional aceleraram o tráfego em páginas como Twitter, Facebook, YouTube e Flickr, apesar dos esforços das autoridades para controlar a internet. Em poucas horas, a nova conta do Departamento de Estado no Twitter acumulou 2,5 mil seguidores, mais que o dobro dos alcançados pela conta em árabe do Departamento de Estado, @USAbilAraby, aberta na semana passada.

Veja também:

Filha interrompe entrevista por vídeochamada e vira sensação nas redes
EFE   
publicidade