1 evento ao vivo

EUA: cineasta de filme anti-Islã é identificado

13 set 2012
15h03
atualizado às 15h26
  • separator
  • comentários

Autoridades federais identificaram o homem responsável pela produção do filme anti-islâmico que causou revolta e diversos atos violentos contra representações diplomáticas dos Estados Unidos no mundo muçulmano. De acordo com o site do jornal New York Post , o homem foi identificado como Nakoula Basseley Nakoula, 55 anos, um cristão copta.

Veja imagens do polêmico filme anti-Islã
Origem de vídeo pivô de protestos é motivo de dúvidas e confusão
Filme polêmico põe EUA sob pressão no Egito, Líbia e Iêmen
Protestos, dia 1: egípcios rasgam bandeira dos EUA
Protestos, dia 2: embaixador dos EUA é morto na Líbia
Protestos, dia 3: embaixada dos EUA no Iêmen é cercada




Segundo o Post , um agente federal, que não quis ser identificado, disse que Nakoula era o homem por trás do filme Innocence of Muslims ("A Inocência dos Muçulmanos", na tradução livre). A obra denigre o islamismo e o profeta Maomé, o que causou uma onda de protestos no mundo muçulmano. No caso mais grave, o embaixador americano na Líbia, Chris Stevens, e outros três funcionários da legação diplomática foram mortos durante o ataque ao consulado do país em Benghazi.

Em entrevistas a meios de comunicação, o autor do filme tinha sido identificado como Sam Bacile, um corretor imobiliário israelense da Califórnia. No entanto, a agência AP descobriu que a alcunha se tratava de um nome falso ou pseudônimo após rastrear o número de celular usado por Bacile em uma entrevista por telefone. Na residência rastreada, em Cerritos, nos arredores de Los Angeles, eles encontraram Nakoula.

Ao ser contactado pela agência AP , Nakoula negou ser o homem identificado como Sam Bacile. Durante a conversa do lado de fora de sua residência com um repórter da AP , ele exibiu sua licença de motorista tentando esconder o seu nome do meio, Basseley. Posteriormente, a AP encontrou em sua investigação esse nome e outras conexões à figura de Bacile, que também foi o nome usado para postar o filme no YouTube.

Nakoula disse à agência AP ser cristão copta e que o diretor do filme compartilha a preocupação dos coptas - religião cristã originária no Egito - sobre o tratamento que eles recebem dos muçulmanos. Ele afirmou que gerenciou a parte de logística para a empresa que produziu o filme.

Nakoula foi condenado anteriormente pela justiça americana por crimes financeiros.

Repórteres e cinegrafistas se reúnem do lado de fora da residência de Nakoula Basseley Nakoula, em Cerritos
Repórteres e cinegrafistas se reúnem do lado de fora da residência de Nakoula Basseley Nakoula, em Cerritos
Foto: AP
Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade