0

Em declaração histórica, Obama defende casamento gay

9 mai 2012
16h05
atualizado em 11/5/2012 às 10h35
  • separator

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se declarou nesta quarta a favor do casamento homossexual, em entrevista concedida à rede de televisão ABC. Obama até agora tinha se limitado a indicar que suas opiniões a respeito estavam "evoluindo". A seis meses da eleição, a união entre pessoas de mesmo sexo é questão social explosiva no país.

Obama apoia publicamente o casamento gay pela 1ª vez

Esta é a primeira vez que um presidente americano se declara a favor do casamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Tabu para os conservadores do Partido Republicado, mesmo entre os democratas, considerados mais liberais em questões de direitos humanos, há o temor de que uma posição favorável à união gay não seja bem recebida entre os eleitores, algo com que Obama, candidato à reeleição, terá de lidar a partir de agora.

"Para mim, pessoalmente, é importante dizer que eu acredito que os casais do mesmo sexo devem poder se casar", afirmou, em trecho da entrevista divulgado pela emissora. Ele ressaltou que cabe aos Estados se decidirem. Obama disse que inicialmente pensava que a aprovação de uniões civis seria suficiente para a comunidade homossexual.

Obama chegou a esta conclusão após uma longa reflexão, depois de ter conversado "com amigos, familiares, vizinhos" e de ter visto "membros da equipe que mantêm relações homossexuais monogâmicas muito estreitas e criam seus filhos juntos". Também mencionou os militares homossexuais que se sentem "limitados (...) porque não podem se unir em matrimônio".

O presidente também afirmou que havia conversado com estudantes republicanos que, mesmo manifestando suas divergências em relação a sua política econômica ou diplomática, "acreditavam na igualdade" em matéria de direitos dos homossexuais. Ele ressaltou também que suas filhas "Malia e Sasha têm amigos cujos pais são do mesmo sexo". Tratar diferentemente os homossexuais "não tem sentido algum, para elas, e francamente, isso muda a perspectiva" sobre esse debate, considerou.

EUA divididos
Há meses, o presidente democrata, que havia se manifestado em favor das parcerias civis em 2008, sem ter apoiado até então o casamento entre pessoas do mesmo sexo, se contentava a explicar que a sua posição a respeito deste tema estava "em evolução". Mas o vice-presidente Joe Biden provocou alvoroço no domingo ao se pronunciar pela primeira vez em favor dos casamentos homossexuais.

"Estou absolutamente confortável com o fato de que os homens que se casam com homens, as mulheres que se casam com mulheres e os homens e as mulheres heterossexuais tenham exatamente os mesmos direitos", disse Biden. Mas a Casa Branca indicou que era uma opinião pessoal. Uma pesquisa divulgada na terça mostra que os americanos estão muito divididos sobre o assunto: 50% são a favor, e 48% são contra.

Situação nos Estados
Os casamentos entre parceiros do mesmo sexo são até o momento legais em seis dos 50 Estados americanos, além da capital Washington, mas trinta adotaram emendas constitucionais limitando o casamento a uma união entre um homem e uma mulher. O último foi a Carolina do Norte, onde 61% dos eleitores se pronunciaram na terça-feira a favor desse tipo de emenda.

A Carolina do Norte é um Estado do Velho Sul conservador, mas onde Obama havia vencido em 2008 e com o qual ele conta para tentar conquistar um segundo mandato de quatro anos em 6 de novembro. Sinal da importância que foi dada a essa região pelos democratas, a convenção presidencial que confirmará Obama como candidato será realizada nesse Estado de 3 a 7 de setembro.

Fonte: Terra
publicidade