PUBLICIDADE

Simbolismo marca luta entre democratas e republicanos em Iowa

22 out 2012 10h45
Publicidade

Com apenas seis delegados no colégio eleitoral, Iowa é um Estado que carrega mais importância simbólica do que peso político no cenário político. Isso ocorre pelo fato de o cáucus local ser responsável por abrir oficialmente o calendário eleitoral dos Estados Unidos.

Obama e sua família comemoram a vitória nas primárias democratas de 2008: início da jornada à Casa Branca
Obama e sua família comemoram a vitória nas primárias democratas de 2008: início da jornada à Casa Branca
Foto: Getty Images

Especiais
Entenda o funcionamento do processo eleitoral americano
Acompanhe as pesquisas nos Swing States, os Estados decisivos
Nesta eleição, o assunto é a economia; entenda

Perfis dos candidatos
Barack Obama: do sonho do idealismo ao esforço do realismo
Romney e os republicanos: entre o favoritismo e o ceticismo

Foi lá que, em 2008, um ainda azarão Barack Obama venceu seus concorrentes do Partido Democrata, notadamente a favorita Hillary Clinton, e fez um discurso emotivo que atraiu a atenção da mídia e da população americana.

Da mesma forma, Mitt Romney atraiu grande atração da imprensa ao ser declarado vencedor do cáucus de Iowa em janeiro deste ano. Posteriormente, a recontagem dos votos daria a vitória para Rick Santorum, mas Romney já havia se aproveitado dá largada positiva. Naquele momento, a campanha no Estado foi marcada pelas fortes críticas dos pré-candidatos à economia sob o governo Obama, já dando o tom da corrida presidencial.

Iowa é mais um dos chamados Swing States em que Obama apresentou uma folgada vitória nas eleições de 2008 - bateu McCain por 54% a 44%. Mas as eleições anteriores foram mais acirradas. Em 2000, George W. Bush perdeu no Estado para Al Gore por 49% a 48%. Quatro anos mais tarde, candidato à reeleição, ele venceria John Kerry por 50% a 49%.

Internamente, o Estado é governado pelo republicano Terry E. Branstad e suas duas cadeiras no Senado se dividem entre os partidos.

Iowa se tornou o 29º Estado americano ao aderir à União em 28 de dezembro de 1846. Então uma região pouco povoada, vivenciou um forte crescimento populacional e econômico a partir da segunda metade dos séculos XIX até os anos 30 apostando na agricultura. Graças ao passado rural, leva a fama de capital mundial da comida e a marca de Estado agrícola.

Contudo, a partir do fim da Segunda Guerra Mundial, Iowa guinou em direção à industrialização. A população urbana ganhou espaço nas últimas décadas e atualmente 61% moram em cidades. Iowa possui economia diversificada e é considerado um dos melhores Estados do país para negócios. Esta característica lhe permitiu reagir em melhores condições às crises econômicas dos últimos anos.

A relativa boa saúde econômica do Estado e, principalmente, sua taxa de desemprego de 5,3% podem pesar a favor de Obama e fazer de Iowa um campo não propício para o discurso de fracasso da economia praticado por Mitt Romney.

Com 3.062 milhões de habitantes, Iowa é o 30º Estado mais populoso dos EUA. Sua capital e cidade mais importante é Des Moines, ainda que tenha pouco mais de 200 mil habitantes. De acordo com o censo americano de 2010, 91,3% da população local é branca - sendo 88,7% não hispânicos - e 2,9% negros e afro-americanos. Os latinos e hispânicos, de qualquer etnia, somam 5%. Em termos de descendência, as três principais são alemã (35,7%), irlandesa (13,5%) e inglesa (9,5%).

No campo religioso, o censo de 2010 apontou que 52% dos habitantes locais se dizem protestantes, 23% católicos e 6% de outras religiões.

Fonte: Terra
Publicidade