PUBLICIDADE

Maior Swing State, Flórida pode decidir novamente a eleição

22 out 2012 10h45
Publicidade

Em 2000, uma margem de 500 votos na Flórida deu a presidência dos Estados Unidos ao republicano George W. Bush. A ínfima diferença fez o candidato derrotado, o democrata Al Gore, apelar à Suprema Corte do país para tentar uma recontagem dos votos. Após duas eleições menos disputadas, a expectativa é que este Estado sulista, comprado da Espanha em 1819, mais uma vez possa ser o fiel da balança.

Flórida se destaca na produção de frutas cítricas - é o maior produtor de suco de laranja do mundo
Flórida se destaca na produção de frutas cítricas - é o maior produtor de suco de laranja do mundo
Foto: Getty Images

Especiais
Entenda o funcionamento do processo eleitoral americano
Acompanhe as pesquisas nos Swing States, os Estados decisivos
Nesta eleição, o assunto é a economia; entenda

Perfis dos candidatos
Barack Obama: do sonho do idealismo ao esforço do realismo
Romney e os republicanos: entre o favoritismo e o ceticismo

Com 29 votos no Colégio Eleitoral, a Flórida é o maior dos chamados Swing States - Estados que não são claramente fiéis a um dos dois principais partidos do país. Nas últimas quatro eleições, a Flórida se dividiu entre republicanos e democratas, com duas vitórias para cada partido, sempre indicando o vencedor. Em 2008, apesar de vencer John McCain por mais de sete pontos percentuais no geral, Obama venceu a Flórida por 3%.

No entanto, se as eleições parlamentares de 2010 podem servir de termômetro, o Partido Republicano está por cima: elegeu governador e levou a vaga do Estado ao Senado, além de ter eleito o maior número de congressistas para a Câmara dos Representantes. Romney ainda tem dois trunfos a seu favor: o fato de ter realizado a sua convenção ali, no final de agosto (as convenções são consideradas oportunidades de ouro para mobilizar o eleitorado local), e o apoio de Marc Rubio, senador local de origem hispânica que pode ajudar a angariar o voto latino, uma grande comunidade na Flórida.

Com uma população de 19 milhões de habitantes, a Flórida é o quarto Estado mais populoso do país. Apesar de ser a cidade mais conhecida do Estado, Miami, não é nem a capital (Tallahassee), nem a cidade mais populosa (Jacksonville). Contudo, com 5,5 milhões de habitantes, a região metropolitana de Miami é a maior do Estado e do sudeste do país.

A maioria da população local é formada por brancos, 75%, sendo 57,9% desses não hispânicos. Os negros ou afro-americanos representam 16% dos habitantes do Estado. O restante é formado por diversas minorias. Os latinos e hispânicos, que englobam diversas etnias, representam 22,6% da população. Em termos de religião, 74% dos locais se identificam como cristãos, sejam protestantes ou católicos.

A Flórida é famosa por suas praias, por ser o sonho de consumo - devido às suas temperaturas amenas e baixos impostos - para muitos aposentados e também por abrigar os parques temáticos mundialmente famosos em Orlando. Economicamente, o Estado tem um grande destaque na produção de frutas cítricas, especialmente laranja - é o maior produtor de suco de laranja do mundo. Além disso, pecuária e o turismo são os principais setores da economia.

Os resultados econômicos, porém, não tem sido muito satisfatórios para durante a administração Obama. Em 2009, no auge da crise econômica, o produto estadual bruto (PEB) registrou uma retração de 5,4%. Desde então, a economia estadual apresenta uma pequena aceleração anula, mas sem nunca ter superado 1% ao ano. Em termos de renda, a Flórida se encontra praticamente na metade do ranking nacional, com uma renda per capita de US$ 39.563, a 27ª entre todos os Estados americanos (50).

Fonte: Terra
Publicidade