PUBLICIDADE

Após margem democrata em 2008, Nevada deve ter pleito apertado

22 out 2012 10h46
Publicidade

Internacionalmente, este pouco povoado Estado com grandes áreas desérticas é famoso por Las Vegas, "cidade do pecado", dos casamentos relâmpagos, dos cassinos bilionários, dos sósias de Elvis e das casas de strippers.

Com 2,7 milhões de habitantes, Nevada é o 35º Estado mais populoso do país - e 7º maior em área territorial
Com 2,7 milhões de habitantes, Nevada é o 35º Estado mais populoso do país - e 7º maior em área territorial
Foto: Getty Images

Especiais
Entenda o funcionamento do processo eleitoral americano
Acompanhe as pesquisas nos Swing States, os Estados decisivos
Nesta eleição, o assunto é a economia; entenda

Perfis dos candidatos
Barack Obama: do sonho do idealismo ao esforço do realismo
Romney e os republicanos: entre o favoritismo e o ceticismo

Nevada tem uma história de colonização curta se comparada a outros Estados. A primeira exploração europeia data de 1827. A região se tornaria parte dos EUA após um acordo assinado com o México, que nunca estabeleceu nenhum tipo de controle sobre a área. Inicialmente, o território fez parte de Utah, mas ganhou status de Estado em 1864, durante a guerra civil americana.

Além dos jogos de azar e das apostas, Nevada foi o primeiro Estado a adotar o divórcio sem estabelecer quaisquer pré-requisitos - o que só foi aceito em grande escala nos EUA a partir dos anos 70 - e tem as leis mais frouxas para o casamento do país. Também é a única unidade federativa a permitir a prostituição - em bordeis licenciados.

O turismo é a principal fonte de renda de Nevada, responsável, em 2011, por 12,5% do PEB local e por 447 mil empregos. No ano passado, o Estado recebeu 51,372 milhões de turistas. O setor, contudo, foi gravemente afetado pela crise econômica de 2008 e ainda não recuperou nem os lucros nem os postos de trabalho que dispunha em 2007.

Em termos políticos, o Partido Republicano foi dominante no Estado entre os anos 60 e 80. Contudo, o rápido crescimento da população, que triplicou desde 1980, tornou a disputa mais acirrada a partir dos anos 90. Em 1992 e 1996, o democrata Bill Clinton venceu em Nevada. Em 2000 e 2004 foi a vez do republicano George W. Bush. Nenhuma dessas vitórias teve margem superior a 4 pontos percentuais. Histórico rompido pela vitória de Barack Obama sobre John McCain por 55% a 43%.

No entanto, a lenta recuperação econômica do Estado e, acima de tudo, o alto desemprego - 12,1% em agosto, 4 pontos percentuais acima da média nacional - indicam que o pleito deste ano deve voltar a ser vencido por uma pequena diferença.

O rápido crescimento populacional de Nevada também fez o Estado dobrar o seu número de representantes do colégio eleitoral em 20 anos, de 3 para 6. Apesar de o número ser relativamente pequeno, os votos podem ser decisivos em uma eleição acirrada.

Na política interna, o Estado é governado pelo hispânico Brian Sandoval, do Partido Republicano. As duas vagas a que Nevada tem direito no Senado e na Câmara de Representantes federais são divididas entre republicanos e democratas. Apesar de os latinos serem considerados mais favoráveis a Obama, o fato de o hispânico Sandoval governar o Estado pode ser um indicativo de que os membros deste grupo étnico podem pender para o lado de Mitt Romney.

Os hispânicos representam 27,1% (de acordo com o censo americano de 2010) da população local e os asiáticos 7,7%, acima da média nacional (5%). Em termos religiosos, os católicos são o grupo mais representativo entre os cristãos: 27%.

Com 2,7 milhões de habitantes (segundo números do censo americano de 2010), Nevada é o 35º Estado mais populoso do país, o que contrasta com o fato de ser o sétimo maior em área. Mais de dois terços da população local (1,9 milhão) se concentra na região metropolitana de Las Vegas-Paradise. Apesar de ser a capital do Estado, Carson City possui apenas cerca de 56 mil habitantes, enquanto Las Vegas, a cidade mais populosa, conta com 583 mil.

Fonte: Terra
Publicidade