2 eventos ao vivo

"É perigoso, mas vamos nos sair bem", diz prefeito de Nova York

28 out 2012
19h49
atualizado às 21h40

As autoridades de Nova York concluíam neste sábado os preparativos para enfrentar o furacão Sandy, com a esperança de que o fenômeno não atinja a maior cidade da costa leste dos Estados Unidos. "A tormenta começará a ser sentida no domingo ou na madrugada de segunda-feira. É um fenômeno perigoso, mas vamos nos sair bem", disse o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, sobre Sandy, que avança sobre a costa leste dos EUA após deixar 59 mortos no Caribe.

Imagem captada via satélite mostra atividade do furacão Sandy neste domingo
Imagem captada via satélite mostra atividade do furacão Sandy neste domingo
Foto: AFP

"A trajetória diz que vai atingir a terra um pouco ao sul de nós, na área de Mayland ou Delaware", prosseguiu Bloomberg, acrescentando que não ordenou a evacuação das zonas costeiras, como ocorreu no ano passado com a aproximação do furacão Irene. "Não ordenamos qualquer evacuação até o momento. Será menos perigoso (que Irene), mas não se enganem, haverá muita água. Estamos trabalhando para garantir que quando a tormenta chegar a cidade esteja bem preparada e os cidadãos, seguros".

Bloomberg falou com o governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, para garantir um correto trabalho de coordenação entre as diversas agências governamentais. A Autoridade de Transporte Público metropolitano (MTA, sigla em inglês) informou que a partir da noite de domingo poderá suspender os serviços de metrô e ônibus. A regra é interromper os serviços quando os ventos superam os 62 km/h.

A Bolsa de Nova York se limitará a operações eletrônicas na segunda-feira, suspendendo as transações físicas em Wall Street devido à ameaça do furacão. "Nyse Euronext decidiu suspender as operações físicas" e "negociar todas as ações do Nyse em Nyse Arca, a bolsa eletrônica da companhia, nesta segunda-feira, 29 de outubro", destaca o comunicado. "O salão (da Bolsa) estará fechado, mas o mercado ficará aberto eletronicamente".

Todos os trabalhos de reforma e construção de residências e prédios estão suspensos a partir da noite deste sábado. Sandy, que havia passado à tormenta tropical na madrugada de sábado, voltou à categoria de furacão durante o dia, com ventos firmes de 110 km/h a 120 km/h, segundo o Centro Nacional de Furacões (CNH), com sede em Miami.

As previsões apontam que Sandy seguirá paralelamente à costa sudeste dos Estados Unidos durante o final de semana e na terça-feira deve se chocar com uma frente fria vinda do norte, o que pode causar um fenômeno muito violento, com reflexos em Richmond (Virgínia), Washington DC e Nova York, entre outras grandes cidades.

Em agosto de 2011, o furacão Irene deixou 47 mortos e perdas de 10 bilhões de dólares no leste dos Estados Unidos, mas não atingiu diretamente a cidade de Nova York. O fenômeno afetou regiões da Carolina do Norte, Virgínia, Nova Jersey e Vermont. "Em comparação com o Irene, esperamos um impacto muito mais amplo. O mesmo com o vento", disse James Franklin, chefe do CNH, durante coletiva de imprensa. O último furacão a atingir Nova York foi Glória, em 1985.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade