1 evento ao vivo

Confira 12 fatos sobre a passagem do furacão Sandy pelos EUA

30 out 2012
12h23
atualizado às 13h17

Milhões de pessoas sem energia, pacientes evacuados de hospital, 17 mortos, bilhões de dólares perdidos e pesadelo nos aeroportos. A passagem do furacão Sandy pela costa leste dos Estados Unidos deixou um rastro de destruição ainda desconhecido pelas autoridades americanas, que no momento trabalham para restabelecer a energia elétrica em Nova York e outras cidades importantes. Por enquanto, a rede de notícias CBS elencou ao menos 12 fatos marcantes causados pelo furacão Sandy, que você confere abaixo.

Cenário de destruição é visto no bairro de Queens, em Nova York, após um incêndio provocado pela passagem do Sandy pela cidade
Cenário de destruição é visto no bairro de Queens, em Nova York, após um incêndio provocado pela passagem do Sandy pela cidade
Foto: AP

O essencial sobre a passagem de Sandy pelos EUA
30/10 Sandy deixa rastro de destruição, mortes e escuridão nos EUA
29/10 Obama convoca reunião de crise: "prioridade é salvar vidas"
28/10 EUA: Sandy afetará 50 milhões

.

Bloomberg: vamos nos sair bem
27/10 Sandy recupera força de furacão e ameaça os Estados Unidos

Confira o material especial
Veja fotos da passagem do Sandy pelos EUA e da evolução do furacão
Você sabe como é escolhido o nome de um furacão?
Saiba quais foram os furacões mais devastadores desde 2000

Furacão supera expectativas
As empresas que lidam com catástrofes nos Estados Unidos afirmam que o furacão Sandy certamente superou as expectativas e causou mais perdas do que o Irene, que atingiu o país no ano passado. Porém, esse levantamento deve levar algum tempo devido aos problemas causados na infraestrutura de cidades importantes.

"O Sandy é muito mais grave e impactou Nova York em um grau muito maior do que o Irene", afirmou nesta terça-feira a RMS, uma das primeiras empresas da indústria de segurança a calcular as dimensões do desastre.

Milhões de pessoas sem energia
Mais de 7 milhões de clientes estavam sem energia elétrica na manhã de hoje em 10 Estados americanos, além do Distrito de Columbia, segundo a rede de notícias CNN.

Prejuízos bilionários
Uma empresa de prevenção de desastres estimou que os prejuízos podem chegar a US$ 20 bilhões, de acordo com a agência Reuters.

Água invade o metrô
Os estragos no sistema de metrô de Nova York são inéditos. Túneis, garagens e pátios ferroviários foram inundados e o maior sistema de transporte público dos Estados Unidos pode ficar paralisado durante dias. "Em 108 anos, nossos funcionários nunca enfrentaram um desafio como o que nos confronta agora", disse o presidente da Autoridade de Transporte Metropolitano (MTA, na sigla em inglês), Joseph Lhota, em comunicado nesta terça-feira.

Todos os sete túneis do metrô que passam sob o East River de Manhattan para o Queens e o Brooklyn estão com água, e eventuais danos causados pela água salgada aos componentes elétricos do sistema terão de ser limpos - em alguns casos, fora do local - antes que o sistema possa ser restaurado, segundo a MTA.

Incêndio destrói residências
Cerca 50 casas no bairro de Queens, em Nova York, foram queimadas depois da passagem do furacão Sandy, como anunciou o corpo de bombeiros nesta terça-feira. As residências ficaram totalmente destruídas, segundo a corporação.

Hospital é evacuado
Com lanternas iluminando o caminho, os funcionários do hospital NYU Langone Medical Center tiveram de evacuar cerca de 260 pacientes, tendo de vencer 15 lances de escadas até encontrar ambulâncias prontas para levá-los em segurança para outros hospitais.

O estabelecimento não previu inundações tão fortes e optou por não evacuar todos seus pacientes antes da tempestade, como fez com o furacão Irene em 2011.

Água invade cidades litorâneas
As cidades de Nova Jersey e Atlantic City tornaram-se extensões do Oceâno Atlântico. Algas e detritos do mar invadiram as ruas e cobriram os moradores até o joelho, como relatou à CNN Montgomery Dahm, que vive em Nova Jersey.

"Eu estou aqui há 16 anos e é chocante o que olho agora. É inacreditável. Há carros completamente debaixo d'água em alguns dos lugares que eu nunca poderia acreditar que haveria água", disse.

Guindaste quebra em NY
Um guindaste quebrou na 57ª avenida de Manhattan e ameaçava desabar sobre a rua, o que obrigou bombeiros a cercarem os arredores da construção. Ele trabalhava em um arranha-céu em construção, num projeto que promete ser um dos prédios residenciais mais altos de Nova York.

Inundações também em Nova York
O coração financeiro da cidade, localizado no sul da ilha de Manhattan, foi tomado pela água. Em construção, a área do novo World Trade Center foi inundada. Nesta terça-feira, a Bolsa de Valores de Nova York permaneceu fechada pela segundo dia consecutivo, a primeira vez que isso acontece desde que uma nevasca paralisou suas operações por dois dias em 1888.

Uma sem precedentes maré de 3,9 m de água do mar - 90 cm acima do recorde anterior - avançou sobre o sul de Manhattan, inundando túneis, estações de metrô e o sistema de energia que abastece Wall Street.

Guarda Costeira resgata membros de veleiro
Dezesseis membros da tripulação do veleiro HMS Bounty, que é uma réplica do histórico veleiro britânico de mesmo nome, abandonaram o navio após ele começar a fazer água no momento em que o furacão se aproximava da Carolina do Norte. Quatorze deles foram resgatados por um helicóptero, uma tripulante morreu no hospital após ser resgatada no mar e levada a um hospital e o capitão do barco permanece desaparecido.

Neve severa na Virgínia
Ao avançar sobre o nordeste do país, o fenômeno convergiu com um sistema de tempo frio e se transformou em um híbrido de chuva com ventos fortes, chegando até a levar neve para a Virgínia do Oeste e para regiões montanhosas.

Pesadelo nos aeroportos
Foram confirmado ao menos 13.785 cancelamentos de voos em todo o mundo até a manhã desta terça-feira, de acordo com a empresa Flight Aware, especializada em acompanhar rotas aéreas. O número inclui cancelamentos de voos já previstos para quarta-feira.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade