0

Caso Snowden: EUA consideram má ideia boicote a Jogos de Sochi

17 jul 2013
17h43
atualizado às 18h16

O governo dos Estados Unidos considerou nesta quarta-feira que seria uma má ideia o boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 em Sochi, na Rússia, proposto pelo senador republicano Lindsey Graham caso Moscou conceda asilo ao ex-técnico da CIA, Edward Snowden.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, não quis entrar em "especulações" sobre o tema em sua entrevista coletiva diária e ressaltou que ainda resta "um ano e meio" para a realização desses Jogos, mas respondeu "sim" à pergunta se considerava uma má ideia boicotá-los.

"Estamos em uma situação na qual estamos trabalhando com a Rússia para resolver este assunto", disse Carney ao reiterar que Snowden "deve ser expulso e devolvido" aos EUA, onde está acusado de espionagem pela divulgação de informação de dois programas secretos de vigilância do governo de Barack Obama.

Snowden, retido na zona de passagem do aeroporto moscovita de Sheremétievo há mais de três semanas, já apresentou uma solicitação formal de asilo à Rússia.

Para o senador Graham, os EUA deveriam cogitar o boicote aos Jogos de Sochi se a Rússia conceder asilo a Snowden.

"Seria uma violação do estado de Direito como o conhecemos e um tapa na cara dos EUA", comentou Graham ontem ao propoar a ideia do boicote.

O porta-voz do Comitê Olímpico americano, Patrick Sandusky, rejeitou em comunicado a proposta de Graham e comentou que este tipo de boicotes "não funcionam".

Sandusky lembrou o boicote promovido pelos EUA aos Jogos Olímpicos de Moscou de 1980 em protesto contra a invasão do Afeganistão por parte da então União Soviética e sustentou que "não contribuiu para uma resolução satisfatória do conflito".

Pelo contrário, esse boicote "privou centenas de atletas americanos, todos eles dedicados totalmente à representação de nosso país nos Jogos Olímpicos, da oportunidade de sua vida", acrescentou Sandusky.

Do próprio Partido Republicano surgiram críticas a Graham e o presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, afirmou que seu colega está "totalmente equivocado" por rejeitar a ideia de "castigar" os atletas americanos para empreender uma represália contra a Rússia.

EFE   
publicidade