PUBLICIDADE

Americanos celebram dia histórico para comunidade gay dos EUA

26 jun 2013 15h10
Publicidade

As lágrimas e os gritos de alegria de centenas de pessoas nas escadas do Supremo Tribunal foram frutos, nesta quarta-feira, de duas sentenças históricas ditadas pela Suprema Corte dos Estados Unidos a favor da comunidade homossexual.

Frente a uma maré de bandeiras de arco-íris, os telefones começaram a dar as primeiras notícias, na manhã desta quarta em Washington, de que os casais do mesmo sexo devem ser reconhecidos como iguais em nível federal.

As mensagens de celular foram traduzidas em gritos de júbilo, que aumentaram quando ficou conhecida a segunda sentença pendente, sobre a lei que proíbe o casamento homossexual na Califórnia. Essa lei também se inclinou a favor dos gays, o que antecipa o começo do fim de propostas similares neste e em outros estados.

Apesar do sol e das altas temperaturas, casais de todas as idades celebraram com beijos e abraços um dia histórico para a comunidade gay dos Estados Unidos.

"Como homem gay casado, não posso acreditar que estou vivendo isso. Estar aqui hoje e ler 'Justiça e Igualdade sob a lei' e ver que finalmente se tornou verdade é emocionante", explicou à Agência Efe Steven Baines.

Grupos religiosos, organizações de gays e lésbicas e diversas outras pessoas se uniram à celebração sob lemas como "Igualdade para todos", "Eu também mereço poder me divorciar" ou "Obrigada Edie Windsor, nossa heroína", em homenagem à mulher que denunciou perante o Supremo a lei DOMA, que define o casamento como a união de homem e mulher.

Megan Heffernan, que reside na Califórnia, disse que finalmente poderá constar como legalmente casada no estado mais populoso dos Estados Unidos. "Finalmente eu e minha mulher poderemos desfrutar dos direitos de sermos cidadãs deste país", celebrou.

"Este é só o começo, agora vai afetar cada estado e em poucos anos, todas as pessoas deste país terão os mesmos direitos", opinou Heffernan.

Andrés Gaivota, um porto-riquenho que ondeou sua bandeira hoje em frente ao Supremo, confiou que a decisão de declarar a DOMA inconstitucional pode levar à igualdade de direitos para casais do mesmo sexo em Porto Rico.

Pessoalmente para Gaivota, a possibilidade de que os benefícios do casamento sejam reconhecidos em nível federal para todos poderia evitar que seu namorado mexicano tenha que abandonar o país e isso abre a porta para uma vida juntos sem ter de depender do visto.

"Para a comunidade gay e a comunidade hispana isto é um passo histórico, nos reconhece como pessoas. Temos a ver agora como isto se aplica na lei e se elimina os obstáculos em todos os estados do país", opinou um emocionado Gaivota.

EFE   
Publicidade