PUBLICIDADE

Americana de 38 anos é executada por ter matado uma criança

Lisa Coleman foi declarada culpada em julho de 2004 pela morte de Davontae Williams, de 9 anos

18 set 2014 08h26
| atualizado às 08h27
ver comentários
Publicidade
Mulher foi executada por injeção letal após ser julgada por assassinato de uma criança
Mulher foi executada por injeção letal após ser julgada por assassinato de uma criança
Foto: Texas Department of Criminal Justice / AP

Lisa Coleman, de 38 anos, foi executada por injeção letal na noite desta quarta-feira no Texas (sul dos Estados Unidos) pelo sequestro, maus-tratos e morte do filho de sua companheira.

A morte após a injeção de pentobarbital foi constatada às 18h24 (20h24 Brasília) em Huntsville, informou Robert Hurst, porta-voz das autoridades penitenciárias do Texas.

Lisa Coleman foi declarada culpada em julho de 2004 pela morte de Davontae Williams, de 9 anos, filho de sua companheira Marcella Williams, que morreu de fome e cujo corpo de 15 quilos foi encontrado com marcas de espancamento no apartamento do casal, segundo um documento judicial.

A detida apresentou na terça-feira um último recurso ante a Suprema Corte, argumentando que o agravante do sequestro, o que lhe valeu a condenação à morte, não foi suficientemente examinado durante o julgamento.

"Pode ser executada por um crime que não é passível da pena de morte", afirmou seu advogado, John Stickels, no recurso.

"Coleman apresentou um recurso em virtude do qual é na realidade inocente (...) já que seu advogado no julgamento não havia investigado ou apresentado as provas disponíveis para refutar o agravante do sequestro, que a tornou elegível para a maior punição", acrescentou no documento.

O menino de 9 anos, que circulava livremente no bairro, segundo testemunhas, foi encontrado em sua casa, o que refuta, segundo advogados, a teoria do sequestro.

Sua mãe se declarou culpada da morte por maus tratos e cumpre prisão perpétua.

No entanto, Lisa Coleman, que vivia no mesmo apartamento de Arlington, Texas, recebeu a pena capital.

Esta foi a trigésima execução do ano nos Estados Unidos, nove das quais ocorreram no Texas.

Coleman é a décima-quinta mulher executada nos Estados Unidos de um total de 1.389 condenados desde que a pena capital voltou a ser instaurada, em 1976.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade
Publicidade