Eleições nos EUA

› Notícias › Mundo › Eleições nos EUA

Eleições nos EUA

Sábado, 1 de novembro de 2008, 17h23 Atualizada às 17h52

Obama não é único negro na disputa; veja candidatos

Na próxima terça-feira, milhões de americanos irão às urnas para votar no seu candidato para a presidência do país. Na cédula, além dos conhecidos e mundialmente famosos Barack Obama e John McCain, estarão vários outros candidatos. A lista reúne desde políticos importantes, como o independente Ralph Nader - que aos 74 anos é o candidato mais velho da disputa - até Bob Barr, desafeto do ex-presidente Bill Clinton. Além deles, duas mulheres, um negro e três socialistas tentarão chegar (mesmo que não tenham nenhuma chance) ao cargo mais importante do planeta. Confira quem são eles.

» Veja os outros candidatos à presidência

Gene Amondson

No perfil publicado em sua página oficial (www.geneamondson.com), o candidato oficial do Partido da Proibição à presidência dos Estados Unidos, Gene Amondson, define a si próprio respondendo a perguntas do estilo "o que eu quero ser daqui a cinco anos?", ou "por que meus relacionamentos do passado não deram certo?". Politicamente, Amondson defende com unhas e dentes o principal objetivo do seu partido, criado em 1869: lutar contra álcool, tabaco, jogos de apostas, drogas e pornografia.

Chuck Baldwin

Com o slogan "deixe a verdade ser ouvida", o radialista e fundador de uma igreja batista na Flórida, o candidato pelo Partido Constitucionalista, Chuck Baldwin prega, entre outras propostas, a retirada das tropas do Iraque e a tentativa de finalizar a imigração ilegal aos Estados Unidos. Sobre este ponto polêmico, ele fala em construir cercas e muros nas faixas de fronteira e inclusive usar a força contra imigrantes. "Vamos utilizar a força se necessário (...) para tornar nossas fronteiras seguras imediatamente", diz Baldwin em seu site oficial.

Bob Barr

O candidato do Partido Libertário à Casa Branca, Bob Barr, é contra a união entre pessoas do mesmo sexo e também prega a retirada imediata das tropas do Iraque. Mas o que fez Barr se tornar conhecido foi sua postura em relação ao caso envolvendo o ex-presidente Bill Clinton e a então estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky. Na época do escândalo, o libertário foi o primeiro a pedir o impeachment de Clinton. Ao mesmo tempo, o Larry Flynt, famoso editor de revistas pornográficas, acusou o então republicano de infidelidade e hipocrisia.

Róger Calero

Representado o Partido dos Trabalhadores Socialistas e original da Nicarágua, Róger Calero, defende o "esforço por defender as pessoas trabalhadoras". "Os trabalhadores precisam construir um movimento revolucionário para substituir o poder atual, que é formado por uma minoria poderosa. Precisamos formar um governo de possa abolir o capitalismo", afirma o site oficial de campanha. Ele também ataca os responsáveis pela crise financeira internacional e afirma que pretende fechar Guantánamo e outros "centros de detenção" americanos.

Charles Jay

Se for eleito presidente, o empresário e ex-técnico de boxe Charles Jay deve colocar em prática a plataforma do seu partido, o Partido do Chá de Boston: "apoiar a redução de tamanho, de espaço e de poder do governo em todos as áreas, e fazer oposição ao crescimento do tamanho, do espaço e do poder do governo em qualquer área". Pelo menos é isso que diz o site oficial da instituição (http://bostontea.us). Lá é possível ler algumas das propostas de Jay para o país. Entre elas, a retirada dos soldados americanos de todas as regiões do mundo.

Alan Keyes

Veterano de disputas pré-presidenciais pelo Partido Republicano (sua primeira tentativa foi em 1996), o independente Alan Keyes tem pouco (ou nada) em comum com Barack Obama, fora o fato de também ser negro. Político conservador (é contra a pornografia, sem falar na união gay), Keyes chegou a lançar novamente sua pré-candidatura pelo partido de John McCain este ano. Mas quando o senador por Arizona foi escolhido como candidato, resolveu não desistir, e criou o Partido Independente Americano.

Gloria La Riva

Assim como Róger Calero, Gloria La Riva faz parte do ideal socialista na disputa presidencial. La Riva, junto de Sarah Palin, candidata à vice republicana, e de Cynthia McKinney e Rosa Clemente, candidatas à presidente e vice pelo Partido Verde, é uma das representantes femininas na disputa presidencial americana. Mas o gênero é uma das únicas semelhanças entre a socialista e sua colega mais famosa, que é governadora do Alasca. Enquanto Palin é conhecida por ser ultraconservadora, La Riva traduziu um livro de Fidel Castro, Cuba na Encruzilhada.

Cynthia McKinney

A ex-deputada pelo Partido Democrata Cynthia McKinney ganhou notoriedade nacional quando afirmou que o presidente George W. Bush tinha conhecimento o suficiente da situação para conseguir evitar os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Para a campanha de 2008, ela conta com o apoio do lingüista Noam Chomsky, segundo seu site oficial. Mas ela já conseguiu sua grande vitória ainda no começo do ano, quando venceu Ralph Nader nas primárias do Partido Verde para as eleições presidenciais.

Brian Moore

Mais um socialista na campanha, Brian Moore, do Partido Socialista, prega o estabelecimento de uma "democracia radical", na qual as pessoas têm controle completo sobre suas vidas. "Uma sociedade não racista, sem luta de classes, feminista e socialista onde os trabalhadores possuem e controlam os meios de produção e de distribuição por meio de uma agência controlada democraticamente". Este é o objetivo de Moore. Ex-democrata e ex-independente, ele critica o embargo à Cuba e recentemente visitou a ilha governada por Raúl Castro para estudar o sistema de saúde.

Ralph Nader

Antes mesmo de a corrida presidencial começar, o independente Ralph Nader, 74 anos já começou perdendo. Nas primárias do Partido Verde, em maio deste ano, ele foi derrotado por Cynthia McKinney. Nader já havia disputado as eleições presidenciais pela sigla em 1996 e 2000. Em 2004, concorreu como independente. Apesar da derrota, o advogado nascido em Connecticut é o candidato melhor colocado nas pesquisas depois de Barack Obama e John McCain. Sua trajetória política é marcada por críticas ao sistema político americano. É o candidato mais velho da disputa.

Thomas Stevens e Ted Weill

Thomas Stevens, concorrendo pelo Partido Objetivista, e Ted Weill, do Partido Reformista, são os candidatos mais obscuros que concorrem à Casa Branca este ano. Os objetivistas dizem que "nenhum homem deve usar a força contra outros homens", enquanto os reformistas pregam uma plataforma de políticas econômicas que têm como base o princípio de responsabilidade fiscal.

Redação Terra

Getty Images
Alan Keyes é ultra-conservador e chegou a disputar as prévias do Partido Republicano
Alan Keyes é ultra-conservador e chegou a disputar as prévias do Partido Republicano

Busque outras notícias no Terra