3 eventos ao vivo

Síria usou armas químicas em 2 ataques contra rebeldes, diz Kerry

25 abr 2013
13h04
atualizado às 16h34
  • separator
  • 0
  • comentários

O secretário de Estado americano, John Kerry, disse nesta quinta-feira que o regime sírio de Bashar al-Assad empregou armas químicas contra rebeldes do país em duas oportunidades, informa a agência AP. 

Chuck Hagel fala com repórteres em Abu Dhabi após ler comunicado sobre o emprego de armas químicas na Síria
Chuck Hagel fala com repórteres em Abu Dhabi após ler comunicado sobre o emprego de armas químicas na Síria
Foto: Reuters

Mais cedo, o secretário de Defesa do Estados Unidos, Chuck Hagel, afirmou que a inteligência americana acredita "com um grau variável de confiança" que o regime de Bashar al-Assad empregou armas químicas na luta contra a insurgência do país. 

"Esta manhã a Casa Branca enviou uma carta para vários membros do Congresso sobre o uso de armas químicas na Síria. A carta diz que a comunidade de inteligência avalia com algum grau variável de confiança que o regime Sírio utilizou armas químicas em pequenas escala na Síria", disse Hagel a repórteres em meio a uma visita aos Emirados Árabes Unidos. Ele disse suspeita-se que o gás sarin foi utilizado contra rebeldes. Ele não especificou quando ou onde isso teria ocorrido. 

No entanto, a administração Obama diz que ainda não existem provas concretas da utilização de armas químicas. "Dado o que está em jogo e que o aprendemos em experiências recentes, avaliações de inteligência isoladas não são suficientes - apenas fatos críveis e comprovados que nos forneçam algum grau de certeza podem guiar nossas decisões", disse Miguel Rodriguez, diretor da Casa Branca para assuntos legislativos na carta aos parlamentares. A carta diz que "amostras fisiológicas" levaram a inteligência americana acreditar no emprego de armas químicas. 

Anteriormente, a Casa Branca classificou o emprego deste tipo de armamento como uma "linha vermelha" que, se cruzada, justificaria a intervenção militar no país. 

As declarações americanas ocorrem dois dias após o general israelense Itai Brun acusar as forças sírias de utilizar o principal agente do gás sarin contra os rebeldes em diversas oportunidades. Em uma conferência de segurança em Jerusalém, o militar citou a existência de fotografias que mostravam vítimas espumando pela boca, com pupilas contraídas e outros sintomas.

O regime de Assad e os rebeldes trocam acusações mútuas de uso de armas químicas. A ONU tenta enviar uma equipe à Síria para tentar investigar a situação.

Ataques nesta quinta-feira
A aviação síria bombardeou vários redutos rebeldes perto da capital Damasco nesta quinta-feira deixando quase 49 mortos. Ao menos 10 pessoas morreram na cidade de Qouseir, perto da fronteira libanesa, principal alvo do Exército sírio, que a ataca com o apoio do Hezbollah xiita libanês e as milícias favoráveis ao regime de Bashar al-Assad. Sua tomada é estratégica por estar localizada entre Homs e a região costeira do país.

A aviação também bombardeou Idleb, província do nordeste do país, a cidade rebelde de Raqa (norte), Hasaké (norte) e Deraa (sul), informou o OSDH. Nesta manhã, alguns helicópteros sobrevoaram Ghouta Oriental, uma região agrícola a leste de Damasco e reduto da rebelião.

Com informações das redes de notícias BBC, Reuters, AP e AFP.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade