1 evento ao vivo

Oposição síria pede que estrangeiros aprovem área de exclusão aérea

13 ago 2012
14h14
atualizado às 14h29

Integrantes da oposição da Síria pediram hoje às autoridades estrangeiras que tentem estabelecer uma área de exclusão aérea no país para impedir bombardeios promovidos por militares ligados ao governo do presidente sírio, Bashar al-Assad. O comandante de oposição, Abu Alaa, disse que a tensão maior está na região da cidade de Aleppo, a capital econômica da Síria.

Alaa disse que a ideia é que os países aliados à oposição atuem para impedir que aviões e helicópteros do governo sobrevoem algumas regiões sírias. A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, evitou comentar a respeito.

Porém, especialistas no tema acreditam que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) não aprovará a área de exclusão, pois as delegações da Rússia e China impedem medidas de restrição ao governo Assad.

A iniciativa da oposição ocorre no momento em que o primeiro-secretário da Missão da Síria na ONU, Danny Al Baaj, renunciou ao cargo. Na semana passada, o governo Assad sofreu uma baixa, considerada a mais grave dos últimos dias. O então primeiro-ministro da Síria, Riad Hijab, 48 anos, renunciou ao cargo e fugiu para a Jordânia.

Há 17 meses, a Síria vive sob um clima de guerra. A estimativa é que mais de 20 mil pessoas tenham morrido no país, segundo organizações não governamentais. A oposição insiste na renúncia de Assad, no fim das violações aos direitos humanos e da violência na região.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade